06/11/2017

Resenha: Entre o amor e a guerra - Zibia Gasparetto

Entre o amor e a guerra

Autor(a): Zibia Gasparetto
Editora: Vida & Consciência
Páginas: 312
Resenha por: Larissa
Nota: 4/5
*Livro cedido pela editora para resenha




Sinopse: Marcada por fortes emoções e permeada por uma constante atmosfera de tensão, a história de "Entre o amor e a guerra" se passa na Alemanha, em meio aos horrores da Segunda Guerra Mundial. Ditada pelo espírito Lucius, a obra traz o drama de Denizarth Lefreve, combatente francês que, gravemente ferido no "front" e prestes a ser capturado, assume a identidade de um oficial nazista que ele matara.

Fingindo perda de memória, o protagonista é acolhido pela família do soldado alemão Ludwig e passa a residir em pátria inimiga. Com o desenrolar do enredo, porém, ele percebe que a guerra nada mais é do que um jogo de interesses, que coloca em lados opostos seres humanos com os mesmos anseios e valores.

Resenha: O livro começa com nossos amigos espirituais tentando ajudar algumas pessoas. Esta parte do início deixa o leitor meio perdido, pois não sabemos ao certo o que está acontecendo. Então para resolver o "problema", nosso amigo Lucius começa a ler o diário de um rapaz chamado Denizarth, e é aí que a história toda começa...

Denizarth era um soldado qualquer que estava lutando contra a Alemanha na Segunda Guerra Mundial. Ao conseguir matar um inimigo, acaba apossando-se do uniforme dele e "torna-se" um alemão. Com isso, Denizarth acaba indo parar na casa de um outro soldado alemão, que o acolhe por tempo indeterminado, pois nosso protagonista é acusado de estar louco, traumatizado por causa da guerra, já que precisa fingir estar alheio a todas as conversas à sua volta, pois não sabe comunicar-se em alemão.

"Até quando poderia levar avante aquela farsa? Estar em convivência direta com o inimigo me enojava. Eram eles os assassinos de meus companheiros. Criaturas que eu aprendera a temer e a odiar. Todavia, era minha vida que estava em jogo."

Ludwig, dono da casa em que Denizarth está hospedado, acaba tendo que voltar para a guerra, deixando o rapaz aos cuidados de sua família.

Aos poucos nosso protagonista vai compreendendo o alemão, por conta da convivência, mas ainda assim não se arrisca a conversar com ninguém, já que seu sotaque pode entregá-lo.

O francês acaba envolvendo-se com Ana, irmã de Ludwig, o que gera consequências felizes para a moça, mas tristes e traidoras para Denizarth - conhecido pelos alemães como Kurt Miller, já que ele está "esquecido" e "não lembra de seu nome".

Passado algum tempo, Denizarth é dado como espião francês infiltrado na Alemanha e então tudo começa a mudar...

Preciso parar por aqui de falar sobre a história, pois não quero acabar entregando o restante e tirando todas as surpresas dos futuros leitores... Só posso dizer que o que vem depois de tudo isso é o melhor, portanto leiam para descobrir!

O livro trata, principalmente, do tema da guerra. Já li livros que narram versões de quase todos os lados - judeus, filhos de alemães, etc -, mas nunca tinha lido um livro narrado por um próprio soldado. O que lemos aqui é de arrepiar!

Muitos podem não se interessar pelo livro pelo fato de ser espírita, porém devo dizer que aqui, nessa obra, o tema espiritismo é pouco tratado, se formos comparar com outros livros da autora.

"Só quem viveu a dor de ver sua terra invadida, os seus ameaçados, a impotência frente ao poder da força, a humilhação do domínio estrangeiro, pode compreender a nossa alegria, a nossa imensa felicidade por termos podido viver para ver raiar o dia da liberdade."

Bem, eu gostei muito da história... Ri, emocionei-me, torci pelos personagens, senti raiva, amor, etc. A única coisa que me decepcionou um pouco foi que não temos um final totalmente esclarecido... Digo, nos outros livros da Zibia que li, sempre ficamos sabendo o porquê de cada coisa que aconteceu com cada personagem em suas outras vidas, seus erros, seus traumas, entre outros, porém aqui isso não foi dito, o que me decepcionou um pouco; nada que tire o mérito de toda a história magnífica, é claro. De qualquer forma, recomendo fortemente o livro e, para quem não leu nada do gênero espírita ainda, é um ótimo começo, sem dúvidas!

25 comentários:

  1. Exceto "O menino do pijama listrado", nunca li nada que se passe durante a segunda guerra, deve ser angustiante mesmo ler algo narrado por um soldado, alguém que presenciou visualmente os fatos. Ótima resenha, fiquei bem curiosa.
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia o livro, mas fiquei muito curiosa por se tratar de guerra e por ser de um lado que não estamos tão habituados, a do soldado. Pena o final não ser bom quanto o resto, já li romances espiritas, mas nada do tipo, então a dica está anotada.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Já li vários livros que se passam na Segunda Guerra, gosto bastante dessa atmosfera, dos sentimentos que esses livros conseguem nos passar. Esse eu ainda não conhecia, mas pelo que li da resenha, parece ser muito interessante. Vou procurar depois!

    Beijão
    Cantinho da Escrita

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Ah, os livros ambientados em épocas de guerra, estão me perseguindo hoje haha. Não conhecia esse, mas se tratando da autora, creio que passe ótimas mensagens!

    tenha uma ótima terça
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Não sei por que, nunca curti muito o estilo da Zibia Gasparetto. Em todo o caso, sua resenha foi muito positiva, apesar do final. Quem sabe um dia eu acabe partindo para essa leitura.
    Bjos!
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  6. Oi tudo bem?
    Nunca li nada dessa autora mas sei que ela é bastante conhecida, sua resenha me deixou bastante curiosa para ler esse livro.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Já li alguns livro de Zibia, esse ainda não li. Gosto da narrativa dela :)

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Larissa! Tudo bem? Pode ser ignorância da minha parte, mas confesso que tenho um certo medo de ler livros espíritas, então passo longe dos livros dessa autora rs

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Não tinha ouvido falar deste livro ainda, mas parece ser muito interessante.
    Acredita que nunca li nada da Zibia, sendo ela a escritora favorita da minha mãe? Minha mãe sempre fala que deveria ler os livros dela.
    Acho que começar por esse poderia ser uma boa.
    Adorei a resenha.
    Magia é Sonhar

    ResponderExcluir
  10. Olá Larissa,
    Adoro esse gênero, mas ainda não conhecia esse título, que despertou muito minha curiosidade. É muito bacana quando um livro nos proporciona tantas emoções assim, nos faz pensar, refletir e ver que a vida é mais do que imaginamos.
    Vou anotar a dica!
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oie Larissa.
    Não conhecia esse livro da Zibia, geralmente os livro que tem como pano de fundo o cenário de guerras me emocionam muito, são livros fortes e tocantes.
    Beijos

    Divagando Palavras
    www.divagandopalavras.com

    ResponderExcluir
  12. Oi Larissa, tudo bom?
    Nunca li nada da Zibia, mas tenho bastante curiosidade. Esse ganhou a minha atenção porque dramas ambientados na WW2 sempre têm minha atenção e parece que não tem o suficiente pra ser lido sobre essa época.
    Adorei a resenha!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  13. Olá, Larissa eu passo a dica dessa vez por mais que a sua resenha tenha sido bastante interessante. O fato do livro ser espírita me deixa com um pé atrás, mesmo que sua resenha tenha deixado claro que diferente dos outros livros da autora esse tenha pouca coisa.

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Acho as histórias da Zibia sempre muito emotivas e nos levam as reflexões. Mas já tem um bom tempo que não leio nenhum de seus romances. A premissa é bem interessante, mas não seria uma leitura que encararia no momento.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  15. Eu não leio um livro da Zibia Gasparetto há tempos, mas lembro que gostava muito das histórias e dos ensinamentos. Esse parece ser muito bom.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  16. Oi Lari, nunca li nada da Zíbia e nem dos demais membros Gasparetto, nunca me atraiu, mas confesso que fiquei curiosa por esse livro graças a sua resenha.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  17. Oiii Lari

    Ja ouvi falar bastante da autora, mas confesso que não é um tipo de leitura que me interesse. Dessa vez vou deixar a dica passar, mas fico feliz em saber que vc gostou tanto.

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Imagino que como todos os livros da Zíbia, esse deve ser muito bom! Gosto muito da escrita da autora, anotei a dica! Ótima resenha!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  19. Já li inúmeros livros da Zíbia, mas este não está na relação ainda. Este lance do final não está bem esclarecido me deixou com um pé atrás.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  20. Oi,
    Já tentei ler alguns livros desse gênero,mas confesso que ainda não peguei tanto gosto pela coisa, mesmo sendo estudante dessa doutrina. Minha mãe adora livros assim então vou repassar sua dica para ela.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  21. Não é um livro que eu me interesse, mas a premissa é realente muito boa e tenho certeza de que quem gosta do tema vai ter uma ótima leitura.

    ResponderExcluir
  22. Oii! Eu não conhecia essa obra, mas sou fascinada por histórias sobre a Segunda Guerra Mundial. Parece ser uma obra muito envolvente e ao mesmo tempo angustiante pelo medo do francês em ser descoberto no meio dos alemães. Amei a sua resenha e espero conferir essa obra um dia, bjss!

    ResponderExcluir
  23. Oi, tudo bem? Não leio nada desse gênero, realmente não tenho interesse, mas esse me chamou atenção, pois gosto muito desse período histórico retratado. Eu já li alguns livros no qual o narrador é um saldado e acho legal essa mudança de perspectiva. Adorei sua resenha e me fez repensar sobre os livros da Zibia, obrigada!

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  24. Oiii!

    Eu não sou o publico alvo dessa obra, mas sempre ouvi elogios para a escrita da autora e sua resenha apenas reforçou tudo o que já ouvi. Muito bacana.
    Gostei de ler sua resenha, mas passo a leitura.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  25. Olá, tudo bem? Adoro histórias com tema de segunda guerra porém, o que afasta um pouco da leitura é a questão de ser espírita. Apesar de você falar que nem é tanto assim, não são leituras que me agrade mesmo. De fato trazendo um ponto de vista diferente do que vemos em massa, é instigante. Quem sabe futuramente?!
    Adorei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir