19/08/2019

[Resenha] Todo amor é foda | William Kokubun

Todo amor é foda

Autor(a): William Kokubun
Editora: CeNE
Páginas: 208
Resenha por: Larissa
Avaliação: 5/5
Compre: Editora

*Livro cedido pela editora para resenha


Sinopse: Todo amor é foda aborda a dualidade do amor: tanto o lado bom, o abraço, o beijo, a cumplicidade, a alegria nas pequenas coisas, quanto o lado ruim, a perda, a dor, a solidão, a saudade do que não volta mais. Aqui, você encontrará uma compilação de poemas que foram sucesso na internet, além de crônicas, contos e poemas inéditos, com os quais você vai se emocionar, rir e chorar.

Resenha: Sabem aquele livro que a cada virada de página tem um tiro, um tapa na cara, uma lição, uma bomba ou qualquer outra coisa do tipo? Então, "Todo amor é foda" é assim.

O primeiro texto, "Eu vivo amando, em nome do amor" já começa sendo um tapa na cara. Nele o autor fala sobre as coisas que devemos fazer no dia a dia, como dar bom dia, evitar brigas, abraçar mais, retribuir aos xingamentos com amor, conversar mais com nossos pais, entre outros; tudo isso para amarmos mais assim preenchermos nosso coração somente com coisas boas.

"O importante é entender que, se você seguir direitinho essa receita que te passei, terá preenchido seu coração de uma tal maneira que, de maneira alguma, ele deixará e amar."

"Chinelos" é um pequeno conto que fala sobre Mariana, uma moça que passou por dores e desamores, mas que aprendeu muito com isso e hoje vê a vida de uma forma muito mais bonita.

"Viver é como um videogame, onde as fases vão ficando cada vez mais difíceis para finalmente conseguir sua recompensa. Mariana adora videogame. Ela entendeu a analogia."

O conto "O que o dinheiro não compra"segue o mesmo estilo do que falei anteriormente. Aqui vamos conhecer Mara, uma mulher que ostenta poder e atenção, porém, aquilo que é mais sagrado e que o dinheiro não é capaz de comprar, ela não possui: o amor.

Outro texto muito bacana é "O que você quer ser quando viver", que nos traz uma bela lição. Aqui o autor fala sobre nossos sonhos de criança que vão sendo podados ao longo dos anos pelas pessoas que conhecemos, porém sempre ainda há tempo para sermos e fazermos aquilo que queremos.

Além de contos e crônicas, o livro conta ainda com diversos poemas, daquele estilo que são curtinhos, mas trazem uma carga emocional muito grande. Os contos, poemas e crônicas abordam temas como amor, saudade, dor, desilusão, perda, entre outros.

"Quando você sorri para alguém
que precisa sorrir
Quando você ouve alguém
que precisa ser ouvido
Quando você abraça alguém
que precisa ser abraçado
Você está salvando o mundo."

Eu simplesmente amei a leitura. Eu sou fascinada por esse tipo de livro, que traz poemas/crônicas nesse estilo, e o William escreve de uma forma realmente encantadora. Indico a leitura para todos que estão passando por um momento difícil ou, simplesmente, gostam de ler textos nesse estilo.

"Mesmo não sendo convidada, mesmo sendo insuportável a dor é algo que precisa ser provada."

16/08/2019

[Resenha] Léo na Lua | Maria Lúcia Velho

Léo na lua

Autor(a): Maria Lúcia Velho
Editora: Scortecci
Páginas: 20
Resenha por: Viviane
Avaliação: 5/5
Compre: Editora

*Livro cedido pela editora para resenha


Sinopse: Esta obra trata de amizade e companheirismo.

Avô e neto se unem para uma aventura no espaço.

Resenha: Léo era um garotinho de seis anos que tinha um grande sonho: ir à Lua. Ele adorava vestir-se de astronauta e conhecia o nome de todos os planetas, calculava até a distancia entre eles.

"Ele tinha 6 anos e um grande sonho, na verdade um grande desejo, de ir à Lua."

Um dia seu avô o levou até a NASA, Léo conversou com um engenheiro (futuro astronauta) e disse que seu sonho era ir até a Lua; o engenheiro explicou que por enquanto era impossível uma criança ir à Lua, mas que se Léo estudasse bastante poderia ser um astronauta no futuro.

Porém Léo não queria perder tempo esperando crescer, então convidou seu avô para juntos construírem um foguete. Vovô aceitou e quando já estava pronto ambos decolaram rumo à Lua.

"Para espanto deles, o foguete começou a subir, subir e não parava mais..."

Eu amo livros infantis, eles trazem sempre uma linda lição e ótimos exemplos. Em "Léo na Lua" podemos sentir o poder da imaginação de uma criança e a importância de adultos que dão asas a essa imaginação. É uma leitura rápida, com lindíssimas ilustrações e uma mensagem muito importante, tanto para as crianças quanto para os pais.

14/08/2019

[Lançamentos] Editora Astral Cultural | Agosto - 2019

Olá, livreiras e livreiros! Tudo bem com vocês? Hoje viemos mostrar para vocês os lançamentos do mês de agosto da Editora Astral Cultural, e tem bastante coisa. Vamos conferir?



Luarices: Adolescência é uma fase difícil! Mas, acredite, é possível sobreviver a ela com menos dramas e surtos - talvez só alguns, vai! Em seu primeiro livro, Luara Fonseca compartilha sua vida, dá risada da própria cara, conta as suas encanações e como faz para tentar se livrar de cada uma delas... Nem sempre é fácil, mas dá para levar a vida de um jeito mais leve e divertido, sim. E Luara, sem querer, mostra como.

Um jogo de amor e sorte: Depois de se mudar de uma pequena cidade no Maine para a Flórida, Madison Clarke aproveita a oportunidade para se reinventar, esquecer os dias de solidão e fazer parte da turma popular da escola, afinal, a nova Madison é descolada, espontânea e ousada. Porém, dizem que quanto mais alto você sobe, maior é a queda - e Madison fará qualquer coisa para impedir que sua nova vida despenque ladeira abaixo. Quem sabe o que vem pela frente nesta nova vida na Flórida?

Tank girl: A primeira de uma série de edições remasterizadas que apresenta Tank Girl em ordem cronológica e no triunfal preto e branco - como a natureza sempre quis! Com introdução inédita e ilustrada de Alan Martin e material absolutamente raro da Tank Girl. Leia ou releia as HQs que serviram de base para a personagem skinhead grossa, pinguça, brutal e pilota de tanque.

Meu pop virou k-pop: Desde o primeiro play em um MV, Thais Midori e Gaby Brandalise nunca mais foram as mesmas. O impacto do ritmo e de uma cultura completamente nova trouxe mudanças e descobertas para Midori e Gaby. O universo da música coreana não ficou apenas em uma simples playlist para as duas, e foi assim que as cores, os conceitos e os grupos se tornaram uma paixão com proporções muito além do que elas podiam imaginar.

Afreim: Ele saiu de Sergipe, o menor estado do Brasil, e conquistou o país todo com seus vídeos engraçados e cheios de trollagens. Agora, diretamente de Orlando, nos Estados Unidos, Afreim, o moleque mais doido do YouTube, divide seu dia a dia com mais de 7 milhões de seguidores, que acompanham sua rotina, zoeiras e conquistas mundo afora.

POSTAGEM POR: LARISSA E VIVIANE

12/08/2019

[Resenha] Esta e todas as vidas | Anne Marck

Esta e todas as vidas

Autor(a): Anne Marck
Editora: Astral Cultural
Páginas: 288
Resenha por: Larissa
Avaliação: 5/5
Compre: Amazon / Livraria da Travessa

*Livro cedido pela editora para resenha


Sinopse: Na charmosa São Tomé das Letras, em Minas Gerais, vive Antares Letícia, a jovem apaixonada pela vida no interior, pela beleza exuberante das grutas e cachoeiras pela qual a região é conhecida e, principalmente, as lendas e o misticismo que envolvem a cidade.

Aos dezoito anos, em seu trabalho como guia turística, ela é contratada por um grupo vindo de São Paulo, e é então que conhece Bruno Romão, um homem bonito, fechado e capaz de provocar nela um perturbador sentimento de familiaridade. De saudade.

Por alguma razão, Antares tem a impressão que eles já se conhecem de algum lugar, e essa sensação se torna cada vez mais forte conforme eles se aproximam. Antares e Bruno Romão possuem uma conexão poderosa, e toda vez que a garota encara aquele profundo par de olhos cor de lavanda, percebe uma paixão que nem mesmo o tempo é capaz de apagar.

Esta e Todas as Vidas é uma história incrível e emocionante sobre os sentimentos mais profundos, a simplicidade da vida e o propósito de viver.

Resenha: Antares Letícia tem dezoito anos e mora em São Tomé das Letras, Minas Gerais, com seus pais e irmão mais novo. Seus pais insistem para que ela vá cursar a faculdade em breve, porém, para isso, ela teria que sair da sua cidade tão amada, além de ter que deixar para trás seu negócio de turismo.

Junto com sua melhor amiga, Flor de Lis, Antares trabalha como guia turística por conta própria na cidade, que tem muitos pontos turísticos, aliás. Elas têm planos de abrir um negócio mais sério futuramente, mas por enquanto o trabalho delas é informal. E é através desse seu trabalho que Antares conhece Bruno Romão, um turista paulista.

"Parecia besteira, mas de repente senti que... nos conhecíamos, eu só não sabia dizer de onde."

Ao longo dos dias em que Bruno e seus amigos ficam em São Tomé das Letras, ele e Antares vão ficando cada vez mais próximos. Acontece que a ligação deles não parece ser algo simples e de agora, e sim algo muito maior e vindo de outras vidas.

Além do romance convencional, a estória de Antares e Bruno é repleta de misticismo. Bruno foi para São Tomé das Letras porque viu Antares na televisão e, de alguma forma, sabia que ela era a menina dos seus sonhos. Antares compartilha os mesmos sonhos frequentes do rapaz, que passa a ser o dono do rosto do homem que ela vê nos sonhos depois que o conhece.

"Bruno mexia comigo. Mexia muito. Era estranho como meu corpo reagia ao seu lado. As mãos suavam, o coração batia em um compasso novo, eu controlava a maneira como respirava perto dele, para não parecer tão afetada e, quanto mais fazia isso, mais tola me mostrava."

A avó de Antares vive isolada no meio da floresta, e é considerada uma bruxa pelos moradores da cidade, pois fala com espíritos e faz uso de ervas para curar as pessoas necessitadas; ela sempre disse que Antares era especial e, quando a menina faz/presencia algo completamente surpreendente, vai até a avó para saber mais sobre o que ela tem e é capaz de fazer.

Geralmente eu fico confusa com as ambientações dos livros e não gosto de muitos detalhes sendo descritos, mas nessa obra foi impossível não ficar fascinada com todos os pontos turísticos de São Tomé das Letras e cada vez querendo saber mais. Sem dúvidas se tornou um dos lugares que eu quero conhecer antes de morrer. A autora não poderia ter escolhido uma cidade melhor para ambientar a estória do casal.

O romance entre Antares e Bruno é lindo, indestrutível e inigualável. Eu amei acompanhar a estória deles, a forma como tudo aconteceu, e o final... gente, que final foi esse? Enfim, indico a leitura para todos que gostam de um romance com algumas coisinhas místicas/sobrenaturais envolvidas.

09/08/2019

[Resenha] Compartilhando sentimentos para não sufocar com as palavras | Valéria Leão

Compartilhando sentimentos para não sufocar com as palavras

Autor(a): Valéria Leão
Editora: Autografia
Páginas: 122
Resenha por: Larissa
Avaliação: 5/5
Compre: Editora / Livraria Cultura

*Livro cedido pela editora para resenha


Sinopse: A obra conduz o leitor a momentos de reflexão, de recordação dos bons momentos vividos e compartilhados, a ideia de que é possível atravessar as fases de turbulência que se apresentam ao longo dessa jornada denominada vida com coragem, esperança e bom humor. De maneira delicada, temas como família e amizade, conceitos e preconceitos se entrelaçam, produzindo uma narrativa que demonstra a riqueza de sentimentos que habita em todos nós. A autora busca tocar a alma do leitor com seu sutil otimismo.

Resenha: "Compartilhando sentimentos para não sufocar com as palavras" é um livro composto por crônicas que falam de amor, amizade, família, temas sociais, os mais diversos sentimentos, morte, vida, entre outros.

Em "Profecias de uma mãe" Valéria conta que sempre sonhou em ser advogada. O tempo passou, ela cresceu e conseguiu formar-se em Direito, porém, no meio de tudo isso, sua mãe sempre dizia que um dia ela seria uma escritora. E não é que ela estava certa? Bem, "Compartilhando sentimentos para não sufocar com as palavras" veio para provar isso.

Nos textos "Crônicas de uma vida" e "Inspiração e transpiração" a autora nos fala sobre como surgem suas crônicas, de onde vem sua inspiração. Eu achei muito bacana, pois é muito interessante ver que os textos surgem nas formas mais cotidianas possíveis, seja em uma conversa ou por causa de uma lembrança qualquer.

"Se meu texto consegue levar uma única pessoa que seja a uma reflexão mais apurada sobre algum tema controverso; se alguém se identifica com alguma das situações da narrativa; se trouxer alguma lembrança da própria infância e encher o coração do leitor de uma saudade gostosa, tudo terá valido a pena."

Na crônica "O charme das palavras antigas" a autora fala sobre as palavras e expressões antigas, que agora estão aos poucos deixando de fazer parte do nosso vocabulário, dando lugar a outras expressões nada bonitas ou delicadas.

"Breves momentos de felicidade" é bem curtinho, mas nos traz, sem dúvidas, um sentimento de aconchego no coração. Aqui a autora nos fala sobre valorizarmos as pequenas coisas do dia a dia, e eu achei muito interessante, porque no fim é isso que importa. Coisas caras, viagens, carros do ano... nada disso chega perto da felicidade que é receber um abraço apertado de quem amamos, ouvir um elogio de alguém especial, ganhar uma lambida do seu cachorro.

"Coisas tão singelas podem preencher nossos dias de breves momentos de felicidade genuína. Dinheiro, fama, poder, posição social, viagens fantásticas, tudo isso pode nos proporcionar conforto e sensação de bem-estar. Porém a troca de atenção e afeto, as pequenas delicadezas que permeiam nossas relações, isso sim faz da vida ter brilho e cor."

"Encontros e desencontros" faz-nos refletir bastante sobre aquela coisa de não termos tempo para nada, para encontrar ninguém; ou está calor, ou está frio, ou está chovendo, ou estamos cansados, enfim... são inúmeras as desculpas, porém o tempo passa rapidamente, e quando nos dermos conta disso ele pode já ter acabado.

Em "Conselhos de dinda" a autora nos traz, como o título já diz, conselhos. Eu gostei muito desse texto porque ele nos dá diversas dicas para a vida; coisas que a gente já sabe por natureza, mas que são sempre boas de sermos lembrados de praticar.

Uma crônica muito bonita - e com certeza muito especial para a autora - é "Em nome do pai", onde ela fala sobre o homem que seu pai, Ataide (1927 - 2011) foi. Ao ler essa crônica conseguimos sentir o carinho e saudade que Valéria tem do seu pai. Na sequência vem outra crônica linda, "Fragmentos de memória", onde a autora nos fala sobre como era sua cidade antigamente, alguns costumes que existiam, e que agora se perderam no tempo. Para completar a "sessão saudade", "Fazendinha da saudade" nos traz lembranças da infância e dos avós da autora.

"Ela se entristece ao pensar que não poderá mais abraçar seu saudoso pai, tampouco seus avôs na datas comemorativas, mas eles estão e sempre estarão em suas melhores lembranças."

Eu gostei de todas as crônicas, cada uma tem todo um sentimento envolvido e emociona o leitor de alguma forma, mas sempre tem aquelas que ficam em nosso coração, não é? Então vou deixar aqui as minhas favoritas: "Reflexões", "Breves momentos de felicidade", "Encontros e desencontros", "Conselhos de dinda", "A felicidade está na rotina", "Fé e gratidão", "As muitas formas de dizer 'eu te amo'", "Escolhas e renúncias", "Dever cumprido" e "Chegar e partir".

Como vocês devem ter percebido, eu amei ter tido a oportunidade de realizar essa leitura. Há muito tempo eu queria ler um livro de crônicas, e sem dúvidas ler "Compartilhando sentimentos" foi uma experiência incrível. É um livro que nos emociona, faz rir, traz reflexões e com certeza muita inspiração. Minha resenha acabou ficando enorme, então vou tratar de finalizar logo, com essa frase: "Compartilhando sentimentos" uma obra que deve ser lida!