16/01/2019

[Top 5] Autores que eu quero ler em 2019

Olá, livreiras e livreiros! Eu gosto muito de estipular metas de leitura - nem sempre cumpro, mas gosto. Esse ano decidi conhecer novos escritores, então selecionei doze, um para cada mês do ano, mas hoje vou listar os cinco principais, que tenho mais curiosidade de conhecer.

1. Vinícius Grossos: É claro que o primeiro tinha que ser o autor e pessoa mais iluminada, carismática, atenciosa, fofa e linda que eu conheço. Já tivemos a oportunidade de falar com o Vini pessoalmente mais de uma vez e ficamos encantadas com o ser humano que ele é. Apesar de a escrita dele não se encaixar nos gêneros que eu curto, eu quero muito ler um livro dele e escolhi "O garoto quase atropelado".

2. Colleen Hoover: Já li muitas resenhas dessa autora e sei a carga dramática que os livros dela carregam. Acho que irei me emocionar muito com a leitura, e ainda não escolhi um livro para começar; aceito sugestões.

3. Kristin Hannah: Essa é outra autora que escreve estórias tristes e dramáticas. Só leio resenhas positivas e também não sei por qual livro começar a ler.

4. Robert Bryndza: Claro que tinha que ter um autor do meu gênero favorito (policial/thriller). Esse autor tem uma série de livros com a protagonista "Erica Foster", que eu estou doida para ler.

5. Edgar Allan Poe: Esse autor já estava na minha meta do ano passado, mas infelizmente não consegui ler, então ele passa para 2019 e escolhi para começar o livro "Assassinatos na rua Morgue".

E aí, gostaram das minhas escolhas? Aceito sugestões de livros desses autores(as) e gostaria de saber: qual autor(a) você quer conhecer a escrita em 2019?

POSTAGEM POR: VIVIANE

14/01/2019

[Resenha] Passageiros da eternidade | Carlos Torres

Passageiros da eternidade

Autor(a): Carlos Torres
Editora: Vida & Consciência
Páginas: 352
Resenha por: Viviane
Avaliação: 4/5
Compre: Americanas / Editora

*Livro cedido pela editora para resenha


Sinopse: Quando Andrew e Linda se conheceram em Vigo, uma paradisíaca cidade da Espanha, vizinha da mágica Santiago de Compostela, o mundo estava envolto na atmosfera de paz e liberdade preconizada pelo movimento hippie da década de 1970.

Vivendo a euforia do primeiro amor, os jovens acabam se envolvendo em um perigoso jogo de intrigas, que coloca à prova o sentimento que os une.

Neste romance, você descobrirá que o amor é capaz de transcender a realidade e que a vida vai muito além do que os olhos podem enxergar.

Resenha: Nosso protagonista, Andrew, tem em torno de dezesseis anos, mas para entender um pouco do seu temperamento orgulhoso e desconfiado falaremos primeiro de seu avô, um homem rude que só pensava em trabalho e tinha vários filhos que tratava como trabalhadores - a partir dos cinco anos as crianças já começavam a ajudar no trabalho e sustento da família. Assim cresceu Rico, pai de Andrew, um dos vários filhos que seu avô tivera. Rico também tornou-se um pai frio e ausente, mas Andrew não queria aquela vida para ele e decidiu lutar sozinho por seus sonhos.

Quando criança e adolescente, Andrew adorava pintar telas, mas lá pelos quinze/dezesseis anos, a família mudou-se da Irlanda para a Espanha e Andrew decidiu traçar seu próprio destino; arranjou um emprego como garçom em um restaurante na beira da praia e logo fez amizade com Juan, um músico que apresentava-se lá todas as sextas à noite. A banda tinha uma cantora, Linda, de apenas dezesseis anos, que fez com que o rapaz se apaixonasse, mas como ela é uma moça independente e até um pouco atirada, Andrew entrega-se ao amor, mas sempre com um pé atrás.

"Todas as pessoas diziam que Andrew e Linda formavam um casal imaturo, cheio de ilusões, no entanto, a opinião dos outros não importava para o casal."

O ano em que a história se passa é a década de 70, a comunidade hippie está no auge e Juan é um deles; pregam o amor livre e o uso da maconha como forma de liberdade e diversão. Andrew não concorda, mas anda com o grupo para ficar próximo de Linda.

Tem ainda uma mulher, que todos chamam de Madame T., que é uma espécie de médium ou vidente, que fala coisas estranha para Andrew que não fazem muito sentido; o rapaz não a destrata, mas tenta manter distância por achar a mulher louca e aproveitadora.

Como todo romance que parece ir bem, tem alguém invejoso que arma para o casal e, como Andrew não confia plenamente em sua namorada, cai como um patinho na cilada e o destino dos dois acaba percorrendo caminhos muito diferentes.

As coisas parecem dar certo para Linda, que sonha em ser uma artista famosa, mas para Andrew o destino parece não ter nada de bom reservado.

Após saber que sua amada formou uma família, Andrew viaja e isola-se em um ilha habitada. Lá ele conhece o senhor Morgan, que será muito importante para as futuras decisões do rapaz. O tempo vai passando e, quando as coisas parecem dar certo, de repente tudo desanda.

"É muito triste perder um grande amor. Porém, triste mesmo é perder a esperança de um dia encontrá-lo outra vez."

Tem também o mistério de um livro que Juan empresta para Andrew ler e, ao tocá-lo, o rapaz tem uma espécie de déjà vu - no final da história esse livro fará todo sentido.

Eu gosto muito da escrita do Carlos Torres, ele sempre traz uma mensagem linda, principalmente de luta pelos sonhos e perseverança, mas esse personagem me deu um pouco de raiva em algumas situações, pois mesmo tendo tudo o que queria ele acreditava em mentiras e, por mais de uma vez, pôs tudo a perder; claro que no final tudo se encaixou e fez sentido, mas tive vontade de dar uns puxões de orelha no Andrew várias vezes.

11/01/2019

[Resenha] Em pedaços (recomeços #1) | Lauren Layne

Em pedaços

Autor(a): Lauren Layne
Editora: Paralela
Páginas: 248
Resenha por: Larissa
Avaliação: 5/5
Compre: Americanas / Editora

*Livro cedido pela editora para resenha


Sinopse: Aos vinte e dois anos, Olivia Middleton tem Nova York aos seus pés. Por fora, ela é a garota perfeita - linda, inteligente e caridosa - mas, por dentro, guarda um segredo terrível: um erro que a afastou das duas únicas pessoas que realmente importavam na sua vida. Determinada a esquecer o passado, ela deixa Manhattan e vai trabalhar como cuidadora de um ex-soldado recém-saído da guerra. O que ela não esperava era que seu paciente seria um jovem enigmático de vinte e quatro anos tão amargurado quanto atraente.

Paul Langdon está furioso - com o mundo, com a vida, com o seu pai e, principalmente, consigo mesmo. Depois de sentir na pele os horrores da Guerra do Afeganistão, a última coisa que ele quer é a companhia de uma princesinha nova-iorquina, mimada e irritante. A presença de Olivia parece tóxica para Paul: ela o incomoda, mas ele não consegue afastá-la, por mais que tente.

Nessa recontagem moderna de A Bela e a Fera, Lauren Layne nos traz uma história irresistível de perdão, cura e, acima de tudo, amor.

Resenha: Olivia Middleton mora em Nova York e é a típica patricinha que vemos em filmes. Após ter feito algo terrível - que é um segredo que só ela e mais duas pessoas sabem, até então -, tudo o que ela quer é se isolar do mundo.

"Para mim, cuidar de um veterano de guerra não é filantropia. É uma forma de penitência."

Paul Langdon é um ex soldado de guerra que vive isolado no Maine e está simplesmente furioso com tudo, principalmente com a vida. Quando voltou da guerra, Paul trouxe consigo não só inúmeras marcas físicas, como uma perna "ruim" e o rosto deformado, mas também muitas marcas psicológicas.

Após Paul ter expulsado da sua casa, com seu mau humor e arrogância, sete cuidadores, seu pai resolve pôr ordem, dizendo que virá mais uma e ela deverá ficar por três meses junto com o rapaz, caso contrário ele vai para a rua.

Juntando a vontade de Olivia de isolar-se do mundo com a necessidade de Paul ter uma acompanhante, temos a união de um casal um tanto quanto diferente.

"Ela é uma tentação. Não só de um jeito sexual, embora tenha isso também. Mas, só de olhá-la rapidamente, já me sinto tentado por algo pior: o desejo de ser normal."

Olivia esperava encontrar no Maine um senhor de idade, mais acabado ainda pela guerra, porém tem uma surpresa ao ver que Paul tem quase a sua idade. Já Paul esperava que mais uma senhora de idade viesse cuidar dele - afinal, o que uma mulher de apenas vinte e dois anos ia querer se isolando no Maine para cuidar de um ex-soldado debilitado?

Ao se encontrarem, Olivia arrepende-se de ter ido até Paul para cuidar dele, já que percebe claramente que ele não precisa de ajuda e nem quer ser cuidado. Os dois trocam farpas por um bom tempo, e sempre que parece que vão se entender, algo acontece e todo o progresso é perdido.

"Em pedaços" é o primeiro livro da série "Recomeços" e eu curti bastante a leitura. São dois personagens que, juntos, acabam encarando seus demônios e segredos do passado. Em alguns momentos Olivia e Paul me deixaram bastante irritada com suas atitudes, porém é tudo compreensível. Indico a leitura para quem adora um romance com segredos e passados obscuros.

"Não importa pra onde eu olhe, as paredes estão caindo. E essa garota continua despertando em mim a coisa mais perigosa do mundo. Esperança."

09/01/2019

[Tag] Retrospectiva literária 2018

Olá, livreiras e livreiros! Hoje viemos responder uma tag literária que irá resumir um pouco e fazer um apanhado geral das nossas leituras de 2018. Nós encontramos a tag no Instagram @vibedoslivros e damos uma complementada nela. Vamos conferir?

1. Melhor livro:
Larissa: "Todo o tempo do mundo" (Maurício Gomyde) - Foi muito difícil responder essa pergunta, pois eu li muitos livros incríveis em 2018, mas resolvi ficar com esse porque ele junta três coisas que eu amo em um livro: romance, viagem no tempo e final incrível.
Viviane: "Entre quatro paredes" (B. A. Paris) - É difícil escolher o melhor livro entre tantos ótimos que li em 2018, mas esse eu li em um dia, não consegui largar enquanto não cheguei ao final e gostei bastante do desfecho, então mereceu o título de melhor.

2. Livro que menos gostou:
Larissa: "Missa do galo" (Machado de Assis) - Não é bem um livro, mas sim um conto, que li por obrigação na escola e realmente não funcionou para mim, acredito que por ter lido "forçada" mesmo.
Viviane: "Ligue-me amanhã" (Luna Bravin) - Mais difícil que escolher o melhor livro é escolher o que menos gostou. Escolhi esse pelo excesso de coincidências nos acontecimentos dos personagens, chegou a ficar forçado em certas ocasiões e isso me incomodou um pouco.

3. Melhor protagonista:
Larissa: Budo, de "Memórias de um amigo imaginário" (Matthew Dicks) - Esse foi provavelmente o personagem mais peculiar e incrível que eu já conheci, afinal, quantos livros vocês conhecem que tem um amigo imaginário como narrador?
Viviane: Elsie, de "Holy Cow" (David Duchovny) - Elsie com certeza foi a protagonista mais inteligente, engraçada, aventureira e corajosa que conheci nesse ano que passou. Ah, eu mencionei que ela é uma vaca? Não tem como não se encantar com essa história.

4. Melhor casal:
Larissa: Anabelle e Lucius, de "Belleville" (Felipe Colbert) - Essa foi outra pergunta muito difícil de responder, pois o que eu mais leio é romance, então têm muitos casais que eu gosto, mas escolhi esse porque são dois personagens que mesmo separados por cinquenta anos e com diversos problemas conseguem se apaixonar.
Viviane: Annabelle e Richard, de "Feitiço" (Jessica Macedo) - Annabelle e Richard foi um casal que lutou muito para ficar junto e não foi fácil; no primeiro livro eram amigos, no segundo tiveram alguns empecilhos e no terceiro e último também não foi um mar de rosas, por isso mereceram a minha escolha nesse quesito.

5. Melhor dupla/grupo de amigos:
Larissa: Elle e Noah, de "A barraca do beijo" (Beth Reekles) - Eu não poderia citar aqui outra dupla que não essa. Quem já leu o livro ou assistiu o filme sabe o quanto a amizade desses dois é linda e forte.
Viviane: Carver, Blake, Eli e Mars, de "Dias de despedida" (Jeff Zentner) - Apesar de ser uma estória trágica que me arrancou lágrimas do inicio ao fim do livro, a estória do grupo de amigos (antes do acidente) me cativou.

6. Livro que te fez refletir:
Larissa: A princesa salva a si mesma neste livro (Amanda Lovelace) - De alguma forma, todos os livros que eu leio me fazem refletir um pouco, mas esse fala sobre temas bastante pesados e de forma bem cruel, então resolvi citar ele.
Viviane: "Quando a escuridão bate a porta" (diversos autores) - Essa antologia fala sobre depressão e superação, então, ao final de cada conto, foi necessário eu parar, respirar e refletir sobre a estória contada; levei vários dias para ler, pois dificilmente conseguia ler mais de um conto na sequência.

7. Livro que te fez chorar:
Larissa: "O lado feio do amor" (Colleen Hoover) - Eu geralmente não choro com livros, mas é impossível não se emocionar com essa estória linda em que o personagem tem um passado bastante triste.
Viviane: "A lista negra" (Jennifer Brown) - Eu choro muito lendo, e como já citei "Dias de despedida", que me fez chorar muito, decidi citar "A lista negra", que não ficou para trás. Eu já previa que seria uma leitura emocionante, e foi.

8. Livro que te fez rir:
Larissa: "Que mico!" (Dieison Engroff) - Eu não sou muito de rir com livros, mas é impossível não rir com essa obra, pois a gente se identifica muito com as situações que a personagem passa.
Viviane: "Uma policial de quatro patas" (W. Bruce Cameron) - Esse livro, narrado pela cachorrinha Ellie, me fez rir e chorar. Amo livros narrados por animais.

9. Um livro não tão conhecido que você leu e gostou:
Larissa: "Despertei por você" (Priscila Toratti) - Fui ver no Skoob e essa obra não tem muitos leitores, o que é uma pena, já que é uma estória emocionante e que merece ser mais reconhecida.
Viviane: "O marquês" (Luis A. Delgado) - Eu gostei muito dessa leitura, prendeu minha atenção do início ao fim, os fatos iam sendo revelados no decorrer da leitura, a escrita foi envolvente e tinha um mistério, coisa que amo nas leituras. Para colocá-lo nessa categoria, baseei-me no Skoob.

10. Um livro bastante conhecido que você leu e gostou:
Larissa: "Eleanor & Park" (Rainbow Rowell) - Há muito tempo eu já queria ler esse livro, e depois de ler eu só conseguia pensar: porque demorei tanto para realizar essa leitura?
Viviane: "O ceifador/A nuvem" (Neal Shusterman) - Aprendi em 2018 a gostar de distopias e considero essa uma das melhores; sempre li resenhas positivas e fui com bastante expectativa, que bom que não me decepcionei.

11. Livro que te surpreendeu de forma positiva:
Larissa: "Mentirosos" (E. Lockhart) - Eu sempre via os leitores falando sobre o quanto esse livro é surpreendente, então já comecei a ler esperando alguma surpresa, e incrivelmente o livro conseguiu me surpreender ainda mais do que eu esperava.
Viviane: "Proibido" (Tabitha Suzuma) - Este livro divide opiniões, eu sabia do tema polêmico e mesmo assim me arrisquei. Apesar de todo o drama e do final inesperado, eu considero um livro que me surpreendeu positivamente.

12. Livro que não foi "tudo aquilo":
Larissa: "Uma coisa absolutamente fantástica" (Hank Green) - O livro em si é muito bom e diferente de tudo que eu já vi por aí, mas o final realmente me decepcionou.
Viviane: "Objetos cortantes" (Gillian Flynn) - Eu amei esta leitura, mas eu esperava cenas mais fortes. Mesmo não sendo tudo o que eu esperava, ainda assim foi uma das melhores leituras de 2018 e quero ler outros livros da autora.

13. Autor que conheceu esse ano e gostou:
Larissa: Colleen Hoover - Há anos que eu queria ler algo dela, então em 2018, nos 45 do segundo tempo, finalmente consegui. E o resultado? Eu amei e já quero ler tudo dessa mulher.
Viviane: Marcos DeBrito - Eu conheci vários autores novos nesse ano que passou, mas esse me apresentou um tipo de terror psicológico que precisei de alguns dias para processar o final do livro "A casa dos pesadelos".

14. Total de livros lidos:
Larissa: 86.
Viviane: 72

POSTAGEM POR: LARISSA E VIVIANE

07/01/2019

[Resenha] Um blend de nós | Morgana Alencar

Um blend de nós

Autor(a): Morgana Alencar
Editora: Autografia
Páginas: 108
Resenha por: Larissa
Avaliação: 3/5
Compre: Editora

*Livro cedido pela editora para resenha


Sinopse: Mônica é uma fotógrafa paulista que mora no Rio de Janeiro. Antônio é um psicólogo que acabou de sair de um relacionamento estressante. Eles se conhecem por acaso e se sentem intrigados um com o outro a ponto de aceitarem dar uma chance ao destino. Decidem fugir de suas rotinas no hotel em que estão para tomar um café - "um macchiato com leite de soja, por favor.".

Julieta é fã da banda que Matheus acabara de deixar. Uma simples mensagem para entender os motivos dele acaba por aproximá-los.

Resenha: Mônica é uma blogueira que faz críticas de lugares, falando sobre a comida, atendimento, hospedagem, entre outros, e está no parque aquático a trabalho. Antônio está no parque aquático por causa de uma viagem em família. Os dois acabam se conhecendo por acaso e é aí que a nossa primeira estória tem início.

Após Mônica ter observado de longe o desengonçamento de Antônio na piscina e ele ter ficado de olho no livro que ela lia, eles começam a conversar e no tempo de ir até um local em busca de café - para Mônica - e torta de limão - para Antônio - os dois parecem já se conhecer há anos.

Antônio gosta muito de Mônica e ela dele, então ao descobrir que é o último dia da moça ali ele fica bastante decepcionado. Ela mora no Rio de Janeiro e ele em São Paulo, então alguns quilômetros os separarão em poucas horas.

"Como bom terapeuta de si mesmo, Antônio havia chegado ao seu diagnóstico tão rápido quanto secaram as gotas de suor que percorreram os caminhos dos corpos ali presentes: sua curiosidade descomedida o condenava. Ele desejava conhecê-la mais. Desfrutar de mais algumas horas. Um dia em sua completude de manhã, tarde e noite. Ele ansiava por uma validade maior."

Ao chegar em casa Mônica recebe uma mensagem de Antônio dizendo que ela esqueceu sua câmera no hotel, câmera esta que ela irá precisar na próxima semana. Antônio poderia muito bem ter enviado o equipamento da moça pelos Correios, porém, como ele já queria uma desculpa para visitá-la, ele decide levar até ela.

Paralelamente conhecemos mais um encontro por acaso, dessa vez de Julieta e Matheus. O rapaz tocava em uma banda, que de repente resolve deixar. Ao fazer uma publicação avisando os fãs da sua despedida, Julieta, uma fã da banda, começa uma conversa bem casual com ele, que acaba em um encontro em uma praça. Matheus queria compor músicas, mas estava sem inspiração. Porém, ao conhecer Julieta, tudo muda...

São duas estórias de casais e encontros por acaso que conhecemos separadamente, mas que no final se tornam uma só, quando os quatro personagens se encontram. Eu gosto bastante de livros nesse estilo.

Não é um livro para se esperar muitas surpresas, bem pelo contrário, é uma história bem leve e pequena, que dá para ler em uma tarde, sem grandes acontecimentos. O final me decepcionou um pouco, já que não teve um "fechamento" da estória. Para quem gosta de uma leitura leve e que dá para ler "em uma sentada", este livro é muito indicado!