23/04/2018

[Resenha] A batalha inesperada | Carolina Ramalho

A batalha inesperada

Autor(a): Carolina Ramalho
Editora: Autografia
Páginas: 264
Resenha por: Larissa
Avaliação: 3/5
Compre: Americanas / Editora

*Livro cedido pela editora para resenha


Sinopse: Ashley é uma adolescente como todas as outras. Tem amigos dos quais se orgulha e encontra alguém por quem se apaixonar. Mas todo muda quando ela e sua família decidem viajar para a casa de um parente. Desde então, não só ela tem que enfrentar uma difícil e inesperada batalha.

Resenha: Ashley tem dezesseis anos e mora em Seattle com seus pais e seu irmão, Jack, de dezoito anos. Ela considera sua vida bem monótona, e quer muito que algo aconteça para tirá-la da rotina. Eis que chega em sua escola um novo aluno, Sam Carter. Logo Ashley e Sam apaixonam-se e, rapidamente, começam a envolver-se.

"Acho isso muito estranho. Acho estranho amar alguém, mas na verdade não querer ama-lo. Por não saber se vou ou não me ferir."

Nossa protagonista tem um grande grupo de amigos (muitos amigos mesmo), que estão sempre dispostos a ajudar uns aos outros e encontram-se frequentemente. Eles passam por grandes aventuras juntos.

Um dia Ashley e sua família vão viajar para a casa da tia-avó da garota, então ela e seu irmão levam alguns de seus amigos, para se divertirem na casa, que, aliás, tem fama de ser assombrada. É nessa viagem que mais uma mudança inesperada acontece na vida de Ashley.

"Digamos que sua vida pode estar uma merda. Mas, lembre-se, sempre haverá alguém pior."

O livro me lembrou bastante aqueles filmes americanos, onde os personagens têm vários amigos, divertem-se bastante, encontram os amores de suas vidas e tudo mais, tanto que em alguns momentos achei até um pouco forçados os acontecimentos. É uma leitura bem leve, mas que no final emociona bastante. Fica a dica para quem quer uma leitura rapidinha e sem muita ação para o final de semana!

"Só porque você ama uma pessoa, isso não te dá o direito de destruir a vida dela."

20/04/2018

[Resenha] Entre o sol e a lua (esmeralda #1) | Ana Ferrarezzi

Entre o sol e a lua

Autor(a): Ana Ferrarezzi
Editora: Novo século
Páginas: 520
Resenha por: Viviane
Avaliação: 4/5
Compre: Americanas

*Livro cedido pela autora para resenha


Sinopse: Joana cresceu em uma cidade no interior de São Paulo e, para dar um novo rumo à sua tumultuada vida, aceita um emprego em uma multinacional no Rio de Janeiro.

Enquanto ela enfrenta os desafios desta nova fase, Cauã - entidade do Sol - a reencontra e a reconhece como o amor milenar dele. Joana não tem conhecimento de que é a personificação de uma importante entidade milenar, representada pela Lua, tampouco tem ideia de que agora faz parte de uma perigosa batalha entre entidades indígenas e de que irá se deparar com inimigos inimagináveis.

Surge entre eles uma paixão sem limites. No entanto, Cauã precisará unir forças para proteger a sua amada. E quebrar o encantamento que o impede de estar ao lado dela. Afinal, se o Sol precisa de Cauã para existir, ele precisa de Joana para viver.

Num enredo intrigante e mágico, Entre o Sol e a Lua dá vida a personagens míticos e à encantadoras lendas, parte do folclore brasileiro ainda pouco explorado: a mitologia tupi-guarani.

Resenha: Joana é uma jovem de vinte e poucos anos que vive no interior de São Paulo. A moça tem dois melhores amigos: Camilla, um pouco estranha, e Sandro, completamente doidinho, e vive um relacionamento conturbado de mais de cinco anos com Rodrigo, um milionário excêntrico e um tanto agressivo e dominador, mas, mesmo com as brigas, Joana não entende como nunca conseguiu terminar o relacionamento.

Após uma briga feia e decidida a terminar o namoro e a mudar de vida, Joana vai fazer uma entrevista para trabalhar em uma multinacional do Rio de Janeiro. A entrevista é um tanto estranha, mas Joana é selecionada para o cargo - que ela nem sabe bem para o que é. Ao chegar para o primeiro dia de trabalho, ela é recepcionada muito bem pelos sócios Lina, Gabriel, Cristiano, Alcinoe e, mais tarde, Cauã, como se fosse uma velha amiga, e fica bem intrigada, já que esse não é o procedimento normal dos chefes com uma funcionária nova. Cauã apresenta certa resistência ao aproximar-se de Joana, mas os outros se desmancham em agrados.

Nos últimos dias Joana tem se sentido estranha, tem a impressão de ouvir uma voz feminina que lhe dá instruções e, após a primeira vez que Cauã toca nela, ela cai em sono profundo, e isto irá acontecer em todos os encontros deles, pois, passado o primeiro encontro turbulento, o rapaz tenta aproximar-se dela e parece estar tentando seduzi-la. Aí, agora, você que está lendo esta resenha, pensou "É mais um romance clichê em que o chefe rico tenta seduzir a mocinha, sua funcionária...". Não mesmo! Após esta minha revelação, vocês verão o quanto as coisas ficarão interessante, mas, antes, vou contar um historinha: há muito tempo o sol e a lua apaixonaram-se perdidamente, mas como eles nunca podiam se encontrar, e todo mundo sabe o porquê, Rudá, uma espécie de entidade do amor, cria o eclipse, para que eles possam ficar próximos e se amarem por algum tempo, porém eles amavam-se tanto que não queriam mais se separar e o evento durou dias; para não causar maiores estragos, o sol e a lua foram agraciados com formas humanas, e assim tem sido há milênios, eles nascem, morrem, nascem de novo, e sempre se reencontram, mas eis a minha revelação para vocês, na atualidade eles são representados por Joana e Cauã (óóóóhhhh).

"Lina, Gabriel e seus amigos acumulavam vidas em meio a uma milenar existência. Eram obrigados a se reinventar de tempos em tempos para integrar-se à sociedade, viver diversas vidas, acumular nomes, morar em diversas cidades, experimentar diversas culturas. No entanto, um ponto similar ao humano era o livre- arbítrio. Detinham a liberdade de escolher livremente. Em contrapartida, eram obrigados a lidar com suas escolhas, pela memória intacta de uma longa existência e também sob a pena de conviver com as consequências."

Porém, desta vez, parece ter algo errado, pois já era para Joana ter lembrado-se de todas suas vidas passadas com Cauã, lembrar que ela é a lua e ter seus poderes aflorados, mas o mais estranho é que, quando Cauã a toca, ela dorme ou desmaia, parecendo estar enfeitiçada.

"Sou o Sol, e você, a Lua. Somos complementos, isso não há uma alma na face da Terra que negue. Você é meu motivo é preciso que você reconheça isso; caso contrário, deixarei de existir. - Deixarei de respirar e de sentir minhas pernas, literalmente em estado de choque."

A partir daí começa uma corrida para saber que feitiço é esse, já que está próximo do dia de um ritual e os amigos de Joana precisarão que ela lembre-se de tudo e que use seus poderes.

A estória é muito rica em conhecimento de lendas do mundo, mas principalmente do Brasil. Um dos amigos de Joana é o Boto, outro é o Saci; vai ter também o Negrinho do Pastoreio, o Cupido, a Cuca... esses são os que eu conheço, mas tem muito mais. Joana é Jaci, a lua, e Cauã é Guaraci, o sol, mas além destas entidades também temos as Icamiabas, mulheres guerreiras e humanas, mas que tem habilidades que ajudam a proteger Joana e todos seus amigos.

Eu gostaria de parabenizar a autora pela rica pesquisa para escrever esse livro e agradecer pela oportunidade de lê-lo e do extenso conhecimento que adquiri com essa leitura. Mesmo o livro tendo um final bem definido, ele terá continuação e, em breve, já trago a resenha do segundo volume para vocês.

18/04/2018

[Quotes] Grandes frases

Olá, livreiras e livreiros! Hoje viemos trazer para vocês algumas das melhores frases do livro "Grandes frases" (resenha), que é composto por 365 frases, uma para cada dia do ano. Vamos conferir!

"De uma hora para outra tudo pode mudar. A vida é assim."

"Esquecer o passado não significa esquecer as pessoas que amamos. No entanto, esquecer coisas desagradáveis, enganos e situações que não podemos modificar é necessário."

"Há coisas que acontecem da surpresa em nossa vida e nos deixam tristes. Quando a vida tira alguma coisa de você, ela está lhe preparando algo melhor."

"Jogue fora o orgulho, que só tem atrapalhado; a inveja, porque você é capaz de fazer igual ou melhor; o ciúme, porque você é tão bom que, se alguém não acreditar nisso, é porque não merece sua amizade. E cultive a alegria."

"Às vezes pedimos uma coisa e a vida dá outra, porque não era o melhor para nós naquele momento."

"Lembre-se: em cada caminho uma luz, em cada porta uma chave, em cada momento uma necessidade. Se não sabe como encontrar o que precisa, fique atento aos sinais que a vida lhe dá e siga em frente."

"É bom conviver com os que amamos, mas como isso não é mais possível, vale a pena tentar ser feliz de outra forma."

"Não adianta fugir dos problemas porque enquanto não os enfrentar eles continuarão em seu caminho."

"Ninguém é tão sábio que não precise aprender um pouco mais."

"Não espere nada dos outros, porque, na vida, você só pode contar com você mesmo."

"Nós todos estamos aqui para aprender. Erros acontecem. É errando vamos aprender cada vez mais."

"É inútil querer mais de alguém que não tem para dar."

"Nós não temos como mudar os outros, mas podemos escolher não entrar na maldade deles."

Beijos e até a próxima postagem!

16/04/2018

[Resenha] Eu amo New York (eu amo #1) | Lindsey Kelk

Eu amo New York

Autor(a): Lindsey Kelk
Editora: Fundamento
Páginas: 292
Resenha por: Larissa
Avaliação: 4/5
Compre: Americanas / Editora

*Livro cedido pela editora para resenha


Sinopse: Será que fugir do ex-noivo rumo ao destino mais vibrante e inesquecível do planeta pode ser o suficiente para curar um coração partido? Para Angela Clark, a inglesa mais indecisa do mundo... sim!

Com um pouco mais do que um par de sapatos Louboutin e seu passaporte, é New York – a cidade onde a vida pulsa de verdade – que Angela escolhe como seu destino de aventuras. E lá encontrará a ajuda da pessoa mais antenada da cidade, Jenny, sua nova melhor amiga.

Indecisa entre dois homens ma-ra-vi-lho-sos, tentada pelas vitrines das lojas mais famosas do mundo e com medo de ter que voltar para Londres, Angela terá que tomar muitas decisões. E o mais importante: ela relata essas experiências para os leitores do blog de uma revista famosa!

Hummm... será que isso vai dar certo?! E será que Angela vai querer chamar NY de "casa" para sempre?

E você? Depois de uma temporada em NY, não iria querer chamar essa cidade fabulosa de "casa" também?

Resenha: Após flagrar seu noivo com outra mulher no banco de trás do carro deles no estacionamento da festa de casamento de sua melhor amiga, Angela não perde tempo e embarca no primeiro vôo para um lugar bem longe de Mark, seu agora ex-noivo/namorado.

Chegando em New York, Angela dá-se conta de que não conhece nada nem ninguém no local onde foi parar, e começa a questionar-se se realmente fez a escolha certa ao fugir de seus problemas.

"É a cidade de novos começos. As pessoas vão até Los Angeles para se encontrar; elas vêm para New York para se reinventar."

No hotel onde está hospedada, nossa protagonista acaba conhecendo e virando amiga de Jennifer - ou Jenny -, a recepcionista. Logo de cara já gostei da personagem, que rapidamente tornou-se uma grande amiga de Angela.

Após poucos dias em New York, Angela conhece dois homens apaixonantes e lindos e logo já tem encontros marcados. O primeiro encontro de Angela pós término é com Tyler, um banqueiro incrivelmente charmoso e rico. Já o segundo encontro da protagonista é com Alex, o vocalista de uma banda bem famosa de New York, que mostra-se um fofo desde o primeiro encontro.

Depois de algum tempo já hospedada em New York, Angela acaba conseguindo um emprego em uma revista, onde irá relatar suas experiências - sobre relacionamentos/encontros vividas ultimamente em um site.

Dividida entre dois amores - um banqueiro gato e um vocalista encantador -, Angela terá que fazer escolhas não só amorosas, mas também quanto ao seu emprego e sobre si mesma.

Foi uma leitura bem diferente do que estou acostumada - com uma mulher bem diferente de todas que já conheci através dos livros -, mas ainda assim muito prazerosa e engraçada. Angela é uma daquelas personagens que queremos passar a mão na cabeça em um minuto e, no outro, arrancar os cabelos. É uma ótima leitura para passar o tempo e dar boas risadas!

"Sempre odiei o fato de que as coisas, na maior parte das vezes, parecem um pouco pior, um pouco mais malucas, à noite."

13/04/2018

[Resenha] Namorado de aluguel | Kasie West

Namorado de aluguel

Autor(a): Kasie West
Editora: Verus
Páginas: 252
Resenha por: Larissa
Avaliação: 4/5
Compre: Americanas




Sinopse: Gia Montgomery é uma das garotas mais populares do colégio e tem um nome a zelar. Ela não pode simplesmente aparecer sozinha em pleno baile de formatura. Então, quando se vê sem acompanhante para a festa, Gia é obrigada a tomar medidas drásticas. Como arrumar alguém para se passar por namorado dela assim, de uma hora para outra? Talvez aquele garoto sentado no carro, parecendo tão entretido com um livro, seja a resposta para todos os seus problemas...

Resenha: Gia Montgomery tem uma vida aparentemente perfeita - amigas, popularidade, garotos, beleza -, exceto pelo fato de que, no dia do baile de formatura, ela é deixada pelo seu até então namorado no estacionamento, antes de entrarem no baile. Isso poderia não ser tão ruim, já que ela tem quem quiser aos seus pés, acontece que Jules - a personagem mais chata do planeta -, que entrou por último no seu grupo de amigas, não acredita que ela tem um namorado, já que o namoro é à distância e ela nunca o viu, então o baile seria a prova de que Bradley realmente existe.

Mas Gia não deixaria por isso mesmo... Ela não poderia deixar que suas melhores amigas parassem de acreditar nela para acreditar em Jules, sua amiga da onça, afinal Bradley existia... Então nossa protagonista encontra no estacionamento um menino sentado em um carro lendo um livro, e vê a oportunidade perfeita para o "Bradley" ir ao baile com ela.

Ela fala com o rapaz e, depois de muita insistência, ele topa. O "dublê de Bradley" faz seu papel muito bem e tudo sai como o planejado (ok, nem tanto assim).

Passado o dia do baile, Gia quer muito agradecer o garoto e saber o porquê de ele ter aceitado, mas a única forma de chegar até ele - já que ela não tem seu número nem seu nome - é através da irmã dele, que é sua colega, porém ela não está disposta a deixar que Gia se aproxime do garoto.

Depois de alguns dias chega o momento de Gia devolver o favor que o dublê de Bradley fez à ela - contra a vontade dele -, e Gia acaba aceitando, afinal, ela queria falar com ele, além de que ela deve um favor.

A protagonista amadureceu muito ao longo da estória, o que me deixou bem feliz... Suas amigas são superficiais e idiotas - ela também era, mas pelo menos estava disposta a mudar depois de um tempo. Jules é aquela típica vilã, que faz de tudo para acabar com a vida da protagonista, e eu odiei ela o tempo todo... Quando eu achava que a garota podia mudar, pensar em suas atitudes, ela ia lá e fazia outra merda.

"Raramente encontramos profundidade quando a procuramos dentro de nós mesmos. A profundidade é encontrada no que podemos aprender com as pessoas e as coisas que nos cercam."

Acontecem muitas outras coisas na estória, mas vou deixar para que vocês leiam e descubram. Resumindo, é um daqueles romances leves em que acontecem algumas reviravoltas, mas nada demais; ótimo para passar o tempo. Indico muito a leitura!

"Levanta a cabeça. Tem outros peixes no mar. O oceano é imenso. Às vezes a gente precisa pescar e devolver alguns antes de achar aquele que vale a pena manter. Continue nadando. Só isso."