11/03/2019

[Resenha] No cantinho do arco-iris | Sónia Ribeiro

No cantinho do arco-iris

Autor(a): Sónia Ribeiro
Editora: Chiado
Páginas: 78
Resenha por: Viviane
Avaliação: 4/5
Compre: Editora

*Livro cedido pela autora para resenha


Sinopse: Quando adormeço, surge a imagem de um céu estrelado e de um caminho iluminado pelo luar. A noite parece estar fria. Os três cavaleiros seguem, lado a lado, a um passo rápido e em silêncio. Mas eu oiço-o! Oiço o seu pensamento, como se falasse apenas para mim.
Olá Pequenina!
Vi que recebeste o meu presente! Não te preocupes, amanhã de manhã elas estão de volta e ficarão para sempre junto a ti.
Não pude esperar por vocês. A Aldeia da Planície teve um problema com as chuvas e é preciso ir ajudar a reconstruir as casas e o dique principal, que ficou desfeito. Espero que acompanhes a Aura até lá.
Dorme bem Pequenina! Dorme com a certeza que me acompanharás esta noite.

Os meninos já dormem a sono solto, quando consigo finalmente adormecer.
Ouve-se o som de água a correr, que se mistura com o burburinho agitado e confuso dos meninos.
- Alguém tem de segurar o outro lado! - grita um menino de cabelos compridos.
- Não! É muito perigoso! - grita Filipe.
A estrutura do novo dique está espalhada no leito do rio. Os meninos, encharcados e cansados, olham desanimados para ela. Depois de dois dias de trabalho, a força da água destruiu a estrutura de madeira que estava a ser montada.
- Não vale a pena! Não vale a pena! Não vamos conseguir! - grita Filipe, enquanto se afasta frustrado.
- Partimos amanha de manha. - diz o guardião mais baixo - Ele tem de parar e de se afastar!
- Filipe, o problema foi a força da água. Estávamos a fazer tudo de acordo com o plano.
- Eu tenho de sair daqui. - diz Filipe.
Desperto com a imagem de um olhar perdido e desesperado.

Resenha: Uma garota acorda em um lugar incrivelmente lindo, mas não lembra como foi parar lá. À sua frente tem um caminho de pedras irregulares que em um certo ponto divide-se em dois; para um dos lados ela é levada até uma cachoeira deslumbrante com um lindíssimo arco-íris formado pelas gotículas d'água que tocam a luz do sol, já no outro lado tem uma aldeia com muitas crianças bem menores que o normal, sendo que os meninos são carecas e usam roupas coloridas e as meninas têm longos cabelos com laços de cores vibrantes e usam vestidos brancos.

Logo a garota descobre que as crianças da aldeia usam as cores do arco-íris e, de acordo com a cor, eles têm uma função na aldeia - os de cor verde cuidam das plantações, os de azul cuidam da água e da coleta de peixes, os de índigo têm a missão de deixar os animais felizes, os de violeta fiam a lã e produzem os tecidos e assim por diante. Eles sobrevivem à base de troca do que cada aldeia produz; toda semana eles vão até o castelo do príncipe Filipe e trocam suas mercadorias. Aliás, tudo nesse mundo tem a ver com os sentimentos do príncipe; a parte colorida e alegre surgiu de seus momentos felizes e uma parte sombria, uma floresta muito escura, surgiu de um momento triste.

"Aqui na Aldeia das Mil Cores todos temos uma história risonha e representamos um momento muito feliz. Somos o que dá alegria e cor à vida do Príncipe. Somos alguém especial ou um encontro fantástico. Somos uma boa notícia ou até uma história que fica gravada para sempre. Somos uma paisagem perfeita ou uma canção daquelas que constroem um sorriso."

Nossa protagonista não sabe como foi parar lá, mas sabe que nasceu de um momento feliz, pois foi parar na Aldeia das Mil Cores, porém, como ela consegue ver a parte sombria, disseram à ela que ela também participou de um momento triste do príncipe. A garota não lembra de nada, mas durante o sono tem sonhos com o príncipe que vão dando pistas desse mistério.

Inicialmente a resenha seria feita pelo Leonardo, pois parecia-nos ser um livro bem infantil, mas o livro tornou-se um pouco longo para ele, então ele preferiu só acompanhar-me na leitura e não fazer a resenha.

Eu não sei se o livro terá continuação, mas eu gostaria que tivesse, pois sinto que algumas coisas deveriam ser mais bem explicadas e o modo como tudo terminou deixa margem para um possível segundo volume.

7 comentários:

  1. Olá tudo bem? Gostei muito da premissa, a leitura parece trazer uma história peculiar o que me deixou curiosa, também gosto muito de um certo mistério, mais seria bacana que tivesse talvez a continuação para termos os desfechos que você sentiu falta, enfim ótima dica, beijos!

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?

    Confesso que não conhecia o livro e a autora. A capa é bem simples, mas diante de um bom conteúdo isso é algo irrelevante. Achei a premissa interessante e fiquei curioso sobre o enredo, pois gosto de mistério. Gostei da sua resenha e impressões. Parabéns pela dica!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Parece ser uma leitura bem gostosa de acompanhar! Achei a capa muito bonita e gostei de ver a sua opinião com a leitura. Tomara mesmo que tenha um segundo volume.

    ResponderExcluir
  4. Gosto dessa premissa infantojuvenial que vem como intuito de passar alguma mensagem. Fiquei curiosa para conhecer esse mundo mágico e colorido que a pequena encontra e ainda tem o príncipe. Sugestão anotada.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Ola!

    Não sou uma pessoa acostumada a ler livros infantojuvenis, mas achei a historia desse livro tão bonitinha e tão criativa que agora me vejo aqui curiosa para saber que mundo é esse a ligação da protagonista com o principe.

    Tomara que tenha a continuação

    beijos

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia o livro, apesar de ser bem diferente, coisa que aprecio, a capa não é legal, acho que poderiam ter trabalhado melhor nela, mas se tiver oportunidade, lerei.

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem? Sendo um livro infantil, acho que a proposta é boa, porém confesso que não me chamou atenção, apesar de aparentar ser bem curiosa e diferente. Mistérios assim parecem ser gostosos de ler, ainda mais para o público pequeno. Ótima resenha!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir