10/06/2019

[Resenha] Sonhos e as pedras no caminho | Felipe Rima

Sonhos e as pedras no caminho

Autor(a): Felipe Rima
Editora: CeNE
Páginas: 112
Resenha por: Larissa
Avaliação: 5/5
Compre: Americanas / BuscapéEditora

*Livro cedido pela editora para resenha


Sinopse: Quem nunca ouviu falar no poder dos sonhos? À primeira vista, pode parecer comercial de TV ou slogan de filme, porém felizmente, no caso de Felipe Rima é pura realidade. O menino sonhador e teoricamente com 'destino já traçado' na comunidade da Zareia (CE), em tom de bate-papo, como quem manda um rap, com toda sua poesia e verdade conta sua história de pedras e vitórias. A narrativa passeia não apenas pela história de Felipe, mas traz personagens e momentos marcantes para compreender seu universo: a cumplicidade com o vizinho e melhor amigo Mariano; o contato com armas e drogas ilícitas; a figura do pai, ex-dependente químico e sua história de superação; o drama da mãe que tentava, por meio de muito trabalho, desvencilhar a família do crime; a transformação de Felipe sob os olhos da socióloga e professora Glória Diógenes; a árdua tarefa de um cenário inóspito a ilusões; e, por fim, um receptor especial da arte de Rima.

Vencendo as infindas dificuldades sociais, drogas, caminhos do crime e pedras incontáveis, o jovem rapper e escritor conta como construiu seu castelo de sucessos, ou parafraseando o mesmo "como descobriu o valor dos sonhos, e se virou pra realizar".

Resenha: Nessa obra vamos conhecer a história de Felipe Rima - atualmente rapper, músico, poeta, escritor, empreendedor social e produtor cultural - e descobrir como ele chegou onde está no momento.

Felipe nasceu e cresceu na favela da Zareia, uma comunidade pequena, humilde e bem simples em Fortaleza. Sua mãe trabalhava fora de casa como doméstica e seu pai e praticamente todos da sua família faziam trabalhos criminosos, com armas e drogas.

Inspirado no Romário, o primeiro sonho de Felipe foi ser jogador de futebol - algo muito comum para meninos sonhadores que nascem no "país do futebol". Quando um caminhão chegou no bairro do garoto distribuindo presentes no Dia das Crianças, ele ficou imensamente feliz e surpreso ao ganhar uma bola, já que seu sonho era ser jogador de futebol. Porém a alegria de Felipe não durou muito; após alguns minutos jogando a bola nova com seus amigos, ele viu ela sendo furada e seu sonho indo por água abaixo. O pior de tudo foi chegar em casa chorando e ouvir de seu pai - sua maior fonte de inspiração, seu herói - que "homem que é homem não chora". Foi nesse mesmo dia que o pai do menino mostrou a ele um revólver - "coisa de macho" - e o peso dele.

"Tava tentando descobrir onde a felicidade mora,
Até meu pai dizer: 'Engole o choro, homem não chora!'
Com essa frase na cabeça, e o sonho no coração,
Olhei pro horizonte e fui buscar uma solução."

Após ter seu primeiro sonho destruído e como consequência do ambiente e das influências, o segundo sonho de Felipe foi transformar-se no maior ícone do crime nas comunidades da zona leste de Fortaleza. Sem dúvidas isso é um tanto assustador, a gente julga tanto sem saber, mas a verdade é que essa era a realidade do rapaz na época; quase toda sua família trabalhava no crime, seu pai - seu exemplo - principalmente, a comunidade onde ele vivia era extremamente propícia para essa vida e, afinal, com o que mais ele poderia sonhar, já que isso era com isso que ele convivia e via diariamente?

O sonho de Felipe Rima de ser o chefe do crime foi interrompido quando seu melhor amigo desde sempre, Mariano, falou para ele sobre um projeto social, Enxame, que contava com diversas oficinas, entre elas grafite e rap, que eram as artes pelas quais os rapazes mais interessavam-se. Nessa parte da história entra Glória Diógenes, uma das atuantes no projeto Enxame; um dia ela levou para uma das oficinas um poema de Carlos Drummond de Andrade, e foi aí que Felipe entrou em contato com a poesia, descobrindo que ela era totalmente diferente do que ele imaginava. Glória fala um pouco sobre o projeto e a sua perspectiva durante os anos em que trabalhou lá, o que eu achei incrível, pois através dela podemos ter uma visão muito interessante da vida do Felipe e do Mariano.

Felipe vai contar-nos, ainda, como, na sua adolescência, viu seu pai afundar por causa do crack, perder todo o luxo conquistado através do mundo do crime e começar a vender as coisas da casa. Nesse período o rapaz, seu irmão mais novo e sua mãe passaram por muitas dificuldades, tiveram que ir morar em outra casa e se virar ganhando dinheiro da forma que era possível; eles chegaram, inclusive, a comer coisas do lixo.

"Realmente essa foi uma fase muito difícil. Dela trago muitos valores e cicatrizes. Não era fácil chegar na escola e ver os colegas rindo de mim, porque eu não tinha um caderno de matéria, porque eu não tinha mochila e porque alguns me viam com a carroça de catador. Pra mim, na real, o que importava é que eu tinha o que dar de comer pra minha mãe e irmão, mesmo assim me doía muito."

A história do Felipe Rima é, sem dúvidas, uma das histórias mais inspiradoras que já tive a oportunidade de conhecer; em diversos momentos emocionei-me durante a leitura. Felipe é um grande rapper atualmente, é claro, mas olhar para trás e ver tudo o que ele passou para chegar onde está hoje é essencial. O rapaz nasceu num lugar onde não se tinha muita perspectiva de vida, onde geralmente o crime acabava sendo o destino de todos, mas ele foi forte, batalhou e conseguiu conquistar o seu espaço no mundo. Quem gosta do Felipe como artista deve ler esse livro, e quem ainda não conhece ele, precisa ler essa história!

"A vida te apresenta os dois lados da moeda.
Quem vai tá na tua glória e quem vai tá na tua queda.
Entre a vida e o mundo, tá todo mundo lutando.
Uns por um prato de comida, outros por um carro do ano."

8 comentários:

  1. Eu fiquei apaixonada pelos quotes, só por eles eu já leria o livro! Adorei essa resenha, eu adoro uns livros mais levinhos sabe, daqueles pra curar a ressaca mesmo! Adorei sua resenha e já quero ler esse livroooooo!

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem? Não conheço o artista, mas leria a obra, fiquei apaixonada pela história dele. É mesmo muito inspiradora. Vou atrás, com certeza! Adorei os quotes/poemas, acho que demonstram bem quem é o autor.

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    O tema parece interessante para jovens, mas não é algo que atrai. Pelos quotes não leria, achei que a linguagem não corresponde aos personagens.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  4. Recebi esse livro aqui é casa, é fofinho e bastante útil ao público infanto-juvenil e adolescentes de forma geral, traz uma história inspiradora.

    ResponderExcluir
  5. Oi Larissa, sua linda, tudo bem?
    Fiquei emocionada com a história de vida dele. E triste porque sei que existem milhares na mesma situação e que não possuem o mesmo destino. As pessoas responsáveis pelo projeto não são humanos, são anjos, estão salvando a vida de muitos e isso não tem preço. Sua resenha ficou ótima, com certeza um livro que deveria ser lido por todos.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  6. gente, que livro é esse! deve ser uma história bastante contundente e emocionante
    fiquei com muita vontade de ler, porque conheço várias histórias de pessoas que tinham tudo para ser brilhante de forma honesta e acaba indo para o outro lado

    ResponderExcluir
  7. Olá, gostei do livro inicialmente pelo título muito realista, adorei a resenha e saber que o livro é inspirador é só mais uma fator positivo, anotei a dica e quero ler em breve!

    ResponderExcluir
  8. Olá

    É uma entre tantas histórias de pessoas que conseguiram encontrar em enxergasse seu potencial e quem não permitisse que se entregasse ao crime. Infelizmente isso é um dos poucos casos que acontecem em um país que pouco se importa com quem é pobre.

    Beijos

    ResponderExcluir