08/11/2019

[Resenha] O menino que colecionava estrelas | Aluísio Cavalcante Jr.

O menino que colecionava estrelas

Autor(a): Aluísio Cavalcante Jr.
Editora: CeNE
Páginas: 52
Resenha por: Viviane
Avaliação: 5/5
Compre: Editora

*Livro cedido pela editora para resenha


Sinopse: Através de uma perspectiva lúdica, O menino que colecionava estrelas ensina sobre valores como amor, amizade, respeito, solidariedade e muito mais. A leitura possibilita desde a aquisição de novas palavras, até o desenvolvimento do pensamento crítico das crianças, que permite que elas reflitam sobre o que foi lido. O resultado é um processo natural de transformação das atitudes e hábitos da criança.

Resenha: Era uma vez um menino tão apaixonado por estrelas, que as colecionava. Toda noite ele olhava para o céu e escolhia uma, mas só uma, pois pensava que outras crianças também queriam pegar suas estrelas.

"Apenas uma era a escolhida, pois o menino achava que se escolhesse mais de uma, outras crianças ficaram sem estrelas e não sentiriam a alegria que ele sentia a cada anoitecer."

Ele brincava muito com suas estrelas e aconchegava-as em nuvens para que dormissem confortáveis.

O menino cresceu e começou a ter outras coleções, como a das palavras. Cada palavra que ele colecionava ensinava-lhe uma lição - amor, amizade, respeito...

"[...] para o menino, toda palavra tinha uma importância e um sentido especial."

Outras coleções vieram: brinquedos, livros, figurinhas, ímãs e a sua preferida, fotografias. Com as fotos o menino podia lembrar de todos os momentos felizes que viveu, viagens que fez e amigos que cativou.

Porém o menino nunca deixou de amar as estrelas, mesmo quando elas passaram a significar a lembrança daqueles que já se foram.

Algo que não posso deixar de destacar é a perfeição das ilustrações, tudo com muita simplicidade e bom gosto, dando um toque especial à narrativa do autor.

Que estória maravilhosa! Lembrou-me tanto da minha infância, quando eu deitava sob o luar e ficava observando as estrelas, aquelas que piscavam, as que se moviam e as que eu imaginava que fossem minha avózinha me olhando lá de cima. Também tive outras coleções, como papéis de carta, canetas... Enfim, o fato é que a gente cresce e deixa aquela inocência da criança que observa estrelas para trás, focamos nos objetivos, nos problemas da vida adulta, então é maravilhoso quando uma estória assim, tão encantadora, chega e faz-nos voltar no tempo e sentir um quentinho no coração. Recomendo muito ler com as crianças e ir contando as lembranças de nossa própria infância para elas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário