31/10/2018

[Lidos do mês] Outubro | 2018

Olá, livreiras e livreiros! Hoje iniciamos uma nova coluna aqui no blog, que já é bem famosa nos blogs literários, porém nós só aderimos agora. Todos os meses iremos trazer na coluna "Lidos do mês" os livros que lemos no decorrer do mês que acabou. Vamos tentar trazer os lidos do mês para vocês sempre no último dia do mês ou no início do próximo. Esperamos que gostem. Agora vamos conferir nossos lidos de outubro?!

Larissa

Um blend de nós | Morgana Alencar (3/5): Mônica é uma fotógrafa paulista que mora no Rio de Janeiro. Antônio é um psicólogo que acabou de sair de um relacionamento estressante. Eles se conhecem por acaso e se sentem intrigados um com o outro a ponto de aceitarem dar uma chance ao destino. Decidem fugir de suas rotinas no hotel em que estão para tomar um café - "um macchiato com leite de soja, por favor.". Julieta é fã da banda que Matheus acabara de deixar. Uma simples mensagem para entender os motivos dele acaba por aproximá-los.
Improvável destino | Lu Santos (3/5): Helena Montenegro casou-se pensando amar seu marido, Lucas Montenegro. Ele, um homem bonito, charmoso e carismático logo a conquistou. Só que com o casamento veio a descoberta de que ela se casou com um completo estranho. Inconformada com o rumo que seu casamento estava seguindo, decidiu se divorciar. Porém Lucas em uma atitude jamais imaginada por Helena, a agride. Ela passa a viver amedrontada e subjugada, até o dia que resolve virar esse jogo.
Versos de ontem | Marlon Moraes (3/5): Marlon Moraes... O que já leu sobre o autor? Conheceu a literatura ou apenas os méritos de um corpo ardente e vívido, ao vento? Nada, nada além dos versos apaixonados se perpetuou aqui. Então, leia! Leia... E se confesse (aos olhos), como se a poesia lhe permitisse e acariciasse as mãos. Sinta, ouça a voz que ecoa! E esteja com os lábios entreabertos: pois o poeta muitas vezes lhe beija. Sim, do beijo, nasceu o destino... Imaginando um amor maior, desenhou talvez o autor uma saudade dos tempos não vividos! E se antepôs também, entre as cousas findas. Assim, se espera um livro de perdão, rasgue as páginas! Doe... Venda! Ou simplesmente esqueça às ruas. Se espera uma oração americana, queime sumariamente! Não há uma razão sequer para que passe à próxima página, se espera a carne e o sangue apenas. Não, não... Aqui se adverte a alma! Então, o que sabe sobre a República? Assistiu a última novela com a família? O que me diz da moeda atual? O autor não lhe espera com flores e vinho... O poeta não optou pela burguesia tacanha. O autor viveu aqui! E o poeta conheceu o amor... E aqui escreveu os Versos de Ontem. Pense em um livro que não quer o seu abraço, mas sim o beijo úmido! Imagine os poemas, como quem se despe; pois foram consumados na paixão. Acredite no que não lhe espera... Já dormiu com o autor? Ou beijou uma vez o poeta? Para que sejam a minha voz (a sua voz), não leia apenas: mastigue, devore os versos! Sinta, na língua, o beijo. E, quando as mãos intimamente lhe falharem, saiba: eu li Marlon Moraes!

A barraca do beijo | Beth Reekles (4/5): ELLE EVANS é o que toda garota quer ser: bonita e popular. Mas ela nunca foi beijada. NOAH FLYNN é lindo e um tanto quanto bad boy - tá, o maior bad boy da escola - e o rei dos joguinhos de sedução. A verdade é que Elle sempre teve uma queda pelo jeito descolado de Noah, que, por coincidência, é o irmão mais velho de seu melhor amigo, Lee. Essa paixão cresce ainda mais quando Elle e Lee decidem organizar uma barraca do beijo no festival da Primavera da escola e Noah acaba aparecendo por lá. Mas o romance desses dois está bem longe de ser um conto de fadas. Será que Elle vai acabar com o coração partido ou conseguirá conquistar de vez o bad boy Noah?

Fale! | Laurie Halse Anderson (5/5): "Fale sobre você... Queremos saber o que tem a dizer." Desde o primeiro momento, quando começou a estudar no colégio Merryweather, Melinda sabia que isso não passava de uma mentira deslavada, uma típica farsa encenada para os calouros. Os poucos amigos que tinha, ela perdeu ou vai perder, acabou isolada e jogada para escanteio. O que não é de admirar, afinal, a garota ligou para a polícia, destruiu a tradicional festinha que os veteranos promovem para comemorar a chegada das férias e, de quebra, mandou vários colegas para a cadeia. E agora ninguém mais quer saber dela, nem ao menos lhe dirigem a palavra - insultos e deboches, sim - ou lhe dedicam alguns minutos de atenção, com duvidosas exceções. Com o passar dos dias, Melinda vai murchando como uma planta sem água e emudece. Está tão só e tão fragilizada que não tem mais forças para reagir. Finalmente encontra abrigo nas aulas de arte, e será por meio de seu projeto artístico que tentará retomar a vida e enfrentar seus demônios: o que, de fato, ocorreu naquela maldita festa?

Meus 15 anos | Luiza Trigo (4/5): "Meus 15 anos" conta a história de Bia antes, durante e depois do grande dia, sua festa de 15 anos, claro! A melhor amiga, a rival, o melhor amigo, o menino mais gato e popular da escola... Todos contam um pouquinho dessa história movida a sonhos, paixões, ciúmes, alegrias, decepções e amadurecimento, numa narrativa que intercala as vozes de cada personagem, tornando o texto mais dinâmico. Repleto de referências ao cinema - os títulos dos capítulos são títulos de filmes com os quais a garotada certamente vai se identificar - o livro é sinônimo de diversão e sucesso.
Eleanor & Park | Rainbow Rowell (5/5): Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e "grande" (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.

Viviane

A nuvem | Neal Shusterman (5/5): No segundo volume da série Scythe, a Ceifa está mais corrompida do que nunca, e cabe a Citra e Rowan descobrir como impedir que os ceifadores que não seguem os mandamentos da instituição acabem com o futuro da humanidade. Em um mundo perfeito em que a humanidade venceu a morte, tudo é regulado pela incorruptível Nimbo Cúmulo, uma evolução da nuvem de dados. Mas a perfeição não se aplica aos ceifadores, os humanos responsáveis por controlar o crescimento populacional. Quem é morto por eles não pode ser revivido, e seus critérios para matar parecem cada vez mais imorais. Até a chegada do ceifador Lúcifer, que promete eliminar todos os que não seguem os mandamentos da Ceifa. E como a Nimbo Cúmulo não pode interferir nas questões dos ceifadores, resta a ela observar. Enquanto isso, Citra e Rowan também estão preocupados com o destino da Ceifa. Um ano depois de terem sido escolhidos como aprendizes, os dois acreditam que podem melhorar a instituição de maneiras diferentes. Citra pretende inspirar jovens ceifadores ao matar com compaixão e piedade, enquanto Rowan assume uma nova identidade e passa a investigar ceifadores corruptos. Mas talvez as mudanças da Ceifa dependam mais da Nimbo Cúmulo do que deles. Será que a nuvem irá quebrar suas regras e intervir, ou apenas verá seu mundo perfeito desmoronar?

A casa dos pesadelos | Marcos DeBrito (5/5): Dez anos depois de estar cara a cara com aquela assombração, Tiago finalmente concorda em voltar à mesma casa para visitar sua avó. Agora adolescente, ele pretende provar para si mesmo, que a terrível imagem que o aterrorizara nas madrugadas por tanto tempo, não passava de uma criação tenebrosa da infância. Mas, ao chegar no casarão, o jovem se depara com o misterioso quarto de seu falecido avô, agora mantido fechado, e tratado como espaço proibido. As restrições com relação ao aposento, as sensações e barulhos no meio da noite logo alimentam nele a suspeita de que algo terrível habita o local. Tomado por uma estranha coragem e desejo de ver-se finalmente livre do medo, tudo que o rapaz deseja é descobrir o que há por trás daquela porta. Então, o pesadelo toma novo impulso quando a figura sombria da infância mostra-se real novamente... mas, desta vez, ela quer atacar o seu irmão mais novo. Determinado a impedir que o caçula passe por terror semelhante, Tiago, mesmo apavorado, decide enfrentar a criatura. E o que descobre expõe terríveis segredos do passado que ninguém poderia imaginar.

Quase esquecidos | Hiran Murbach (4/5): O que você faria se um dia descobrisse que toda a sua existência está em risco e, pior ainda, não há muita coisa que você possa fazer para evitar isso? É exatamente isso que acontece em “Quase Esquecidos”, uma obra de ficção que mistura fantasia e realidade e tem início no momento em que algumas criaturas do folclore brasileiro constatam um fato aterrador: as novas gerações estão deixando de conhecer a mitologia brasileira e, por causa disso, estes personagens folclóricos estão desaparecendo pois eles só podem existir enquanto lembrados. Muito do nosso folclore já desapareceu nos dias atuais e os poucos que ainda sobrevivem precisam dar um jeito de reverter este quadro. A pergunta, no entanto, é como eles conseguirão fazer isso? E se conseguirão a tempo.

Contas a pagar | Bianca Gulim (5/5): Laerte é um homem ambicioso que subiu na vida a partir de muito esforço e um casamento milionário. Trabalha como advogado em um dos melhores escritórios do país, chefiado por seu sogro. Entre um desvio de conduta e outro, sua vida segue exatamente como planejou: recheada de luxo e extravagância. Até que ele é surpreendido por Sarah, sua ex-colega de escola, que ameaça contar para todos que ele a estuprou quando ainda eram adolescentes. Ciente de que toda sua riqueza depende do seu casamento e do seu emprego arranjado, Laerte se desdobra para manter seu passado em segredo. Sarah, por sua vez, usa e abusa de jogos psicológicos para atormentá-lo. O que ela não sabe é que está lidando com um homem capaz de qualquer coisa para proteger tudo o que conquistou.

Horror na colina de Darrington | Marcus Barcelos (4/5): Em 2004, Benjamin Simons deixa o orfanato em que viveu desde a infância para ajudar alguns parentes num momento difícil: com sua tia debilitada e o tio trabalhando dia e noite, precisavam de alguém para tomar conta de sua prima Carla, de apenas cinco anos de idade. No entanto, certa madrugada, a tranquilidade da colina de Darrington é interrompida por um estranho pesadelo, que vai tomando formas reais a cada minuto. Logo, Ben descobre-se preso numa casa que abriga mistérios, onde o inferno parece mais próximo e o mal possui uma força evidente. Passaram-se mais de 10 anos. Isso tudo aconteceu quando Ben estava com dezessete anos, e foram experiências das quais ele preferia esquecer completamente… Mas aquele passado o acompanha de perto. Ben sente que precisa voltar e sabe que, ou desvenda tudo ou sempre viverá com medo. Então, ele decide contar, e traz numa narrativa angustiante e rica em detalhes tudo o que viveu e todas as batalhas impensáveis que travou para tentar manter a si próprio e a jovem prima em segurança. E se descobre no centro de uma conspiração capaz de destruir até a sua própria sanidade. Onde termina o inferno e começa a realidade?

Clara Carcosa | Juliana Fiorese (4/5): Clara Carcosa conta a história de uma garota que encontra-se perdida, deparando-se com um ambiente repleto de seus maiores medos: solidão, escuridão e silêncio profundo. Sem nenhuma lembrança do que pode-lhe ter acontecido e até mesmo sem saber que lugar é aquele aonde ela está, Clara sai em uma jornada, percorrendo caminhos hostis para buscar respostas concretas. No percurso, a protagonista envolve-se em seus piores pesadelos, os quais vão se manifestando aos poucos e, através de flashbacks, Clara vai desconstruindo todo o mistério que a envolve e desvendando os segredos mais sombrios que estão à sua volta. O que ela não sabe é que há portas que nunca deveriam ser abertas.

O tempo desconjuntado | Philip K. Dick (4/5): Um romance impressionante de um dos maiores nomes da ficção científica. Philip K. Dick faz o leitor duvidar do real e se perguntar a todo momento até que ponto a paranoia é justificada. Com edição especial em capa dura e projeto gráfico arrojado, uma obra inédita de Philip K. Dick chega ao Brasil, trazendo um retrato único da construção do medo, da desconfiança e da própria realidade. Ragle Gumm tem um trabalho bastante peculiar: ele sempre acerta a resposta para um concurso diário do jornal local. E quando ele não está consultando seus gráficos e tabelas para o trabalho, ele aproveita a vida tranquila em uma pequena cidade americana em 1959. Pelo menos, é isso que ele acha. Mas coisas estranhas começam a acontecer. Primeiro, Ragle encontra uma lista telefônica e todos os números parecem ter sido desconectados. Depois, uma revista sobre famosos traz na capa uma mulher belíssima que ele nunca tinha visto antes, Marilyn Monroe. E para piorar, objetos do dia a dia começam a desaparecer e são substituídos por pedaços de papel com palavras escritas, como “vaso de flores” e “barraca de refrigerante”. A única alternativa que Ragle encontra para descobrir o que está acontecendo é fugir da cidade e de todos esses acontecimentos bizarros, contudo, nem a fuga nem a descoberta serão tão fáceis quanto ele imaginava.

Entre quatro paredes | B. A. Paris (5/5): Grace é a esposa perfeita. Ela abriu mão do emprego para se dedicar ao marido e à casa. Agora prepara jantares maravilhosos, cuida do jardim, costura e pinta quadros fantásticos. Grace mal tem tempo de sentir falta de sua antiga vida. Ela é casada com Jack, o marido perfeito. Ele é um advogado especializado em casos de mulheres vítimas de violência e nunca perdeu uma ação no tribunal. Rico, charmoso e bonito, todos se perguntavam por que havia demorado tanto a se casar. Os dois formam um casal perfeito. Eles estão sempre juntos. Grace não comparece a um almoço sem que Jack a acompanhe. Também não tem celular, que ela diz ser uma perda de tempo. E seu e-mail é compartilhado com Jack, afinal, os dois não guardam segredos um do outro. Parece ser o casamento perfeito. Mas por que Grace não abre a porta quando a campainha toca e não atende o telefone de casa? E por que há grades na janela do seu quarto? Às vezes o casamento perfeito é a mentira perfeita.

POSTAGEM POR: LARISSA E VIVIANE

3 comentários:

  1. Como eu gostaria de estar nesse nível de leitura, mal consigo 1 livro de tanto estafo. De suas leituras, li dois livros que achei bem bacana, um deles foi Fale!, é adolescente e pertinente ao momento atual.

    ResponderExcluir
  2. Tudo bem?
    Vários livros que eu também já li e curti.
    Fale, Nuvem, Entre Quatro Paredes, O tempo desconjuntado,Horror na Colina, A casa dos pesadelos, Eleanor & Park e A Barraca do Beijo.

    Ótimas leituras e foi bem produtivo, acho que no último mês eu li menos que isso, sinceramente, não parei para contar ainda.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Quantas leitura boas, meninas!
    Eu estou louca para ler A Casa dos Pesadelos,esse livro me deixou curiosa desde que o vi pela primeira vez. Também quero muito ler Entre Quatro Paredes, eu gosto muito do gênero e a premissa dele tem tudo que me atrai para ler.

    ResponderExcluir