06/09/2019

[Resenha] Código vermelho | Ana Cristina Vargas

Código vermelho

Autor(a): Ana Cristina Vargas
Editora: Vida & Consciência
Páginas: 288
Resenha por: Viviane
Avaliação: 4/5
Compre: Americanas / Editora

*Livro cedido pela editora para resenha


Sinopse: Ele era uma pessoa sob os holofotes e outra na vida privada e experimentava uma estranha dualidade de caráter, influenciando milhões de pessoas. Aos olhos da multidão, foi um soberano, um vencedor, alguém que, saído do anonimato, se tornou um mito.

E, se você pudesse ver o íntimo dele, ouvir suas confissões, conhecer seus amores e segredos? E se pudesse conhecê-lo após a morte do corpo físico, na outra dimensão da vida, no astral?

Esta história nos faz questionar o que vemos, nos propõe uma visão longe dos mitos, reforça a importância da autenticidade e nos mostra que o sucesso tem um conceito diferente sob o ponto de vista da espiritualidade.

Resenha: Inicialmente temos um personagem muito atormentado, que está em uma espécie de hospital ou instituição de saúde mental. Alguns homens conversam sobre ele; mesmo tendo uma pasta com todas as informações do paciente, eles preferem não ler, apenas tentar conversar e tirar suas próprias conclusões e diagnóstico.

"Mas ele tem consciência, lucidez e inteligência. O diálogo não é fácil, mas é produtivo. Ele padece muito. A cura da dor moral não é simples. Não é como uma dor física. Não há hipótese de conformar-se e aceitar o que não tem outra forma de ser. A dor moral empurra, obriga à mudança. Ela é intolerável."

Logo em seguida conseguimos entender que se trata de um espírito desencarnado e, assim que conseguem fazer contato com ele, que descobrimos se chamar Lolek, ele passa a narrar sua última existência na terra.

Quando Lolek estava com dezenove anos, explodiu a Segunda Guerra Mundial. Lolek já tinha perdido a mãe e também perdeu o pai, e, para evitar o alistamento militar, foi trabalhar nas minas, trabalho exaustivo e com grandes riscos de doenças respiratórias. Após largar esse serviço, foi trabalhar na construção da ferrovia, ali o risco era de acidentes. Cansado de passar trabalho, decidiu procurar uma igreja e iniciou seus estudos para se tornar padre.

Após sua ordenação, Lolek inicia uma ascensão meteórica, sempre fazendo uso de muita manipulação e amizade com pessoas certas. Muito apaixonado por filosofia, cursou faculdade e especializações, chegou inclusive a lecionar.

Lolek, enquanto "homem de Deus", levou uma vida profana em segredo, chegou a ter uma noiva e um filho, que a igreja tratou de afastar dele assim que soube. Mesmo tendo alcançado o auge, seu espírito sentia-se culpado e, enquanto ia relembrando fatos de sua vida enquanto encarnado, fomos tendo uma noção de quem seria esse mito enquanto esteve encarnado, coisa que não vou contar para deixá-los curiosos para ler o livro.

Em paralelo com a história, que é realmente o que eu gosto, temos muitos fatos históricos da Segunda Guerra Mundial, do governo de Hitler e de Mussolini; também tem muito do que acontecia por trás das paredes da sagrada igreja. Eu, particularmente, senti-me um pouco perdida, por serem fatos que desconheço profundamente, então para mim essas partes tornaram-se maçantes, mas de resto foi uma linda história; mesmo para aqueles que não gostam de livros espíritas, tenho certeza de que será uma ótima leitura.

11 comentários:

  1. Meu deus, esse livro tem cara de ser um livro que eu vou amar!
    Eu tô numa vibe legal de ler coisas que mesclam espiritualidade com fatos históricos, acho que a gente aprende muito com essas leituras e ainda mais esse livro que fala cobre a importancia de ser autentico, nossa! Já preciso e amei a dica!

    ResponderExcluir
  2. Oi, amei conhecer esse livro pelo seu post, já fiquei curiosa para ler e descobrir mais da vida do Lolek.

    ResponderExcluir
  3. Uau! Só de saber que o livro traz alguns fatos históricos relacionados à Segunda Guerra Mundial, já fez com que eu me interessasse pela leitura. Vou deixar sua dica anotada e espero poder conferir em breve.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Ooi
    Que bom que o livro se encaixou em algo que você gosta. A temática é bem interessante. Eu não sou a maior fã de segunda guerra, e evito ler pois me da muita tristeza, mas é um assunto muito legal de abordar nos livros.

    Silviane, blog Memento Mori • @kzmirobooks

    ResponderExcluir
  5. Oiieee

    Nunca tinha visto o livro e achei bem diferente, interessante, justamente por abordar fatos históricos, detalhes da Igreja na época em que acontecia os governos do Hitler e do Mussolini, já ouvi tantos comentários e criticas sobre o papel da Igreja, mas como sei pouco desse detalhe prefiro nem me ater à isso.
    Apesar de ser um livro interessante, sinto que não seria pra mim no momento, ando em busca de leituras mais levinhas, bobinhas mesmo sabe? daquelas pra passar o tempo e se perder um pouco da histeria do dia a dia... rsrs

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  6. Eu gosto muito de livros que abordem guerras, principalmente a SGM, então como leio muito a respeito eu acho que não ficaria perdida nessas partes e nem as acharia massantes, pelo contrário, me deixariam mais envolvida. Eu gostei da premissa desse livro e desde que o vi no seu IG eu tenho curiosidade com ele

    ResponderExcluir
  7. Olá, eu costumava ler muito gêneros assim já faz um tempo que não leio, mais gostei da dica e de saber que foi uma experiência positiva para você!

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Gosto de livros que trazem fatos históricos como plano de funda, quando bem trabalhados. Ademais, que personagem protagonista ambíguo a dessa obra, parece ser uma leitura interessante.

    ResponderExcluir
  9. Não conhecia o livro e lendo sua resenha sei que é uma leitura que me agradará muito por ter uma trama que envolve temas que gosto muito. Dica anotada.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  10. Eu não sei se essa seria uma história que funcionaria pra mim, pois assim como você, esses fatos históricos me soam distantes ainda, principalmente devido ao aprofundamento que exige, sendo assim, nesse caso eu passo a dica mas adorei sua resenha.

    ResponderExcluir