06/05/2019

[Resenha] A revolução dos bichos | George Orwell

A revolução dos bichos

Autor(a): George Orwell
Editora: Companhia das Letras (Quadrinhos na Cia)
Páginas: 176
Resenha por: Larissa
Avaliação: 5/5
Compre: Amazon / BuscapéEditora

*Livro cedido pela editora para resenha


Sinopse: Cansados da exploração a que são submetidos pelos humanos, os animais da Granja do Solar rebelam-se contra seu dono e tomam posse da fazenda, com o objetivo de instituir um sistema cooperativo e igualitário baseado no lema "Quatro pernas bom, duas pernas ruim". Mas não demora muito para que alguns bichos - em particular os mais inteligentes, os porcos - voltem a usufruir de privilégios, reinstituindo aos poucos um regime de opressão. A história da insurreição libertária dos animais é reescrita de modo a justificar a nova tirania, e os dissidentes desaparecem ou são silenciados à força.

Em tinta acrílica, fazendo com que cada página se torne uma verdadeira obra de arte, o gaúcho Odyr deu forma e cor a este "conto de fadas rural", que de acordo com o escritor inglês Malcolm Bradbury é "a melhor sátira já escrita sobre a face obscura da história moderna".

Resenha: Essa é uma edição adaptada, ilustrada e maravilhosa do clássico moderno "A revolução dos bichos". Eu ainda não li o livro original, então a obra foi uma surpresa para mim de todas as formas.

A Granja do Solar era comandada pelo sr. Jones, que passava mais tempo na taverna bebendo do que na sua fazenda e, sendo assim, os bichos tinham bastante tempo para discutir e fazer planos entre eles.

Tudo ia bem na fazenda, até que um dia o velho Major, um porco, em seus últimos dias de vida, marcou um encontro para falar aos seus amigos sobre a injustiça e miséria que rodeavam as vidas de todos eles.

"Então, camaradas, qual é a natureza desta nossa vida?
Enfrentemos a realidade: nossa vida é miserável, trabalhosa e curta.
Nascemos, recebemos o mínimo alimento necessário para continuar respirando. No instante em que nossa utilidade acaba, trucidam-nos com hedionda crueldade."

Logo a vida do porco chegou ao fim, mas os animais criaram, com base nos ensinamentos de Major, um movimento de pensamento chamado "animalismo", com o qual eles fariam de tudo para não se igualarem aos homens, seus maiores inimigos. O movimento tinha, inclusive, sete mandamentos:

"1. Qualquer coisa que ande sobre duas pernas é inimigo.
2. O que andar sobre quatro pernas ou tiver asas é amigo.
3. Nenhum animal usará roupa.
4. Nenhum animal dormirá numa cama.
5. Nenhum animal bêbera álcool.
6. Nenhum animal matará outro animal.
7. Todos os animais são iguais."

A rebelião, então, aconteceu e os animais expulsaram Jones e seus homens da fazenda. A Granja do Solar passou a chamar-se Granja dos Bichos e agora eles eram os donos de todas as terras que ali haviam. Os porcos, como os bichos mais inteligentes de todos, sabiam ler e escrever e passaram a comandar tudo o que acontecia na fazenda, inclusive os trabalhos, como a colheita de feno; aos poucos os outros animais foram aprendendo a ler e escrever também.

O plano dos animais estava indo muito bem, até que dois porcos começaram a disputar a liderança no local, o que criou muitas confusões. Napoleão e Bola-de-Neve eram rivais e discordavam em tudo; os dois tinham até seguidores próprios. Após muitos desentendimentos, ficou decidido que Napoleão seria o líder da Granja dos Bichos. Porém, aos poucos, o porco vai tornando-se tão ou mais autoritário e opressor que o antigo dono da fazenda, começa a faltar comida e ter mais trabalho para os animais, e é aí que está uma das críticas do livro: até que ponto os animais são realmente todos iguais?

Essa é uma obra repleta de críticas, principalmente contra o regime da época em que ela foi escrita. Não vou falar muito do conteúdo histórico, pois posso acabar falando bobagem, mas espero ter entendido onde o autor queria chegar. Acredito que o livro original tenha uma leitura bem complexa, mas asseguro que essa versão em quadrinhos está bem acessível para todas as idades. Quem ainda não leu, por favor, leia e tire suas próprias conclusões da estória!

9 comentários:

  1. Eu li esse livro no fim do ano passado e li junto com Fahrenheit 451 e meu deus, eu fiquei muito abalada com esse livro e com a proximidade que ele tem com a nossa realidade, mesmo que seja um livro que foi escrito lá na época do stalinismo, ele é tão proximo da nossa realidade, que chega a ser assustador. adorei a resenha!!

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    Eu também li essa versão recentemente, sem ter lido o livro mesmo, e super curti a leitura, além de que é muito lindo visualmente ne?! E as críticas dão um show realmente.

    Beijos

    abobrinhacomchocolate.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oiii Larissa

    Eu li o original, na época te confesos que não curti porque li por obrigação, por causa de trabalho na escola, e todos sabemos que quando é por obrigação, com prazos e tals a leitura nunca flui naturalmente e a gente não desfruta tanto... Ainda assim, achei essa ilustração ilustrada bem legal, acho que deve ser mais envolvente por conta das imagens.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  4. A arte desse quadrinho parece estar belíssima! Ainda não li o texto original, mas é um livro que tenho bastante curiosa e interesse, já que é um clássico e sempre dizem que é uma leitura fundamental. Por adorar histórias em quadrinhos talvez eu comece por esse título na coleção, acho que nesse formato a história também irá fluir mais naturalmente, mesmo que a escrita do original não seja exatamente difícil.

    www.sonhandoatravesdepalavras.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem? Sempre tive curiosidade em ler esse livro ainda mais que semana passada me indicaram ele novamente. Acredito que todo esse cenário político que ele traz nos faz refletir sobre a sociedade na qual vivemos e sobre aquilo que pensamos ser o certo a fazer. Cada pessoa tem sua própria visão da "sociedade perfeita" no entanto, o que é perfeito para um com certeza não o é para os outros concorda? Amei que seja uma HQ com certeza vai para minha lista. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  6. é uma obra muito inteligente que exige mas do leitor, principalmente em análise de conjuntura, gostei da adaptação ao público juvenil, distância do autor, mas aproxima, de certa forma, da ideia, o que já é válido, visto que a obra ainda é atemporal

    ResponderExcluir
  7. Esse é um dos livros que eu mais quero ler, sei que é uma excelente leitura e não vejo a hora de poder, finalmente, ler. Adorei a sua resenha e poder conhecer um pouco mais sobre a obra.

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?

    Confesso que nunca o li, apesar de ter a versão não ilustrada na estante. Sua resenha aguçou minha curiosidade, bom saber que o livro é uma crítica a sociedade, quem sabe, em partes, nos caiba nos dias de hoje, não é?

    Colocando ele na meta desse ano!

    Beijo!

    ResponderExcluir