19/06/2019

[Entrevista] Raphael Fraemam

Olá livreiras e livreiros! Recentemente li o livro "Krystallo", e foi uma leitura tão incrível que fiquei louca para conhecer um pouco mais do autor e compartilhar com vocês, então resolvi fazer uma entrevista com ele. Vamos conferir?

1. Primeiramente, nos conte um pouco sobre você:
R: Eu tenho 26 anos, sou natural de Recife/PE e, além de escritor, sou advogado e professor universitário. Meus gêneros favoritos são fantasia e ficção científica e eu procurei estudar bastante sobre escrita criativa e sobre o mercado antes de lançar esse projeto da "Saga Krystallo". Além de literatura, sou um cinéfilo assumido, nerd e fã de carteirinha de Star Wars.

2. "Krystallo" foi o primeiro livro que você escreveu?
R: Não, aos 8 anos eu escrevi um livro infanto-juvenil chamado "Os Guerreiros da Floresta e a Caverna da Liberdade" que foi publicado pela Editora Bagaço e lançado na antiga Feira Internacional do Livro de Pernambuco (a percursora da Bienal do Livro de Pernambuco).

3. A estória de "Krystallo" é surpreendente e muito bem elaborada, com vários mistérios, mas não fica nenhuma ponta solta. Você já tinha planejado tudo antes de começar a escrever o livro ou a trama foi surgindo ao mesmo tempo em que ia escrevendo a obra?
R: A primeira metade do livro não foi planejada, as coisas foram surgindo à medida que fui escrevendo, mas a segunda metade foi um pouco planejada. A história chegou em um momento em que precisei parar para pensar como iria fechar todas as pontas. Agora, algo que eu sabia que faria desde o início era entregar uma história com começo, meio e fim. O plano sempre foi escrever, no mínimo, uma trilogia. Só que o primeiro livro precisava ter um final fechado porque eu não sabia qual seria a repercussão do "Jornadas para Além das Fronteiras" e, se fosse um fracasso, poderia ser que eu não tivesse estímulo suficiente para continuar o projeto. Ainda bem que não foi isso que aconteceu.

4. Com base na sua experiência, o que você considera mais difícil na publicação de livros nacionais? E o que ainda está te impedindo de lançar "Krystallo" na versão física?
R: Eu acho que a gente tem muita gente boa aqui no Brasil. Acredito que temos condições de entregar histórias tão boas quanto os best-sellers estrangeiros. Mas essas histórias precisam de uma maior atenção do mercado. O Autor precisa de uma maior atenção dos editores, que deveriam justamente possuir o papel de ajudar os autores a lapidar essas histórias até elas ficaram em sua melhor versão. Só que, infelizmente, não sei por qual razão, esse tipo de trabalho não é muito feito. A impressão que tenho é de que a maior parte das editoras possuem os olhos mais focados no mercado internacional. Em relação a Krystallo, o livro ainda não foi lançado na versão física porque eu ainda estou procurando a melhor opção de publicação. Já tentei entrar em contato com a maior parte das editoras conhecidas e com agências literárias, mas a grande maioria não me deu resposta ou, entre as que responderam, disseram que não estão recebendo livros de autores nacionais para publicação. Entretanto, recentemente, algumas opções interessantes começaram a aparecer e, talvez, pode ser que tenhamos novidades nos próximos meses.

5. Onde/no que você busca inspiração para escrever seus livros?
R: Essa é uma pergunta difícil. Mas eu costumo dizer que quando comecei a escrever Krystallo foi mais um desabafo. A imersão em tantas histórias interessantes que trazem tantos ensinamentos fez com que crescesse, cada vez mais, a vontade de também contribuir nesse mundo da literatura. Essa vontade foi crescendo dentro de mim até o ponto em que não dava mais para esperar: eu precisava escrever alguma coisa. Só que não poderia ser qualquer coisa, eu tinha que tentar entregar a melhor história possível, dentro da minha capacidade. Para mim, a melhor história do cinema é a da saga Star Wars e, na literatura, os meus livros favoritos são os de Harry Potter. Além desses, sempre gostei muito das séries de Percy Jackson e Jogos Vorazes, então eu queria entregar uma história para o mesmo público, porque é o público que eu conheço e faço parte. Isso tudo, somado ao fato de querer também entregar uma história original e à preocupação de começar um diálogo com o público jovem sobre política e democracia, resultou em Krystallo.

6. Qual, para você, foi o maior obstáculo na hora de escrever um livro?
R: Tempo. Eu sei que alguns escritores falam muito de bloqueio criativo, mas, para mim, acho que esse não é o maior problema. Eu sou uma pessoa bem ocupada, pois, além de advogado, sou professor em duas faculdades e a minha semana é bem corrida, então às vezes eu não consigo ter muito tempo nem para ler. E antes de escrever, você tem que estar com uma preparação muito boa. Para isso, é necessário muito estudo e leitura. Não estou reclamando de nada, eu amo tudo o que faço, posso te garantir, mas o maior obstáculo em relação à escrita é esse para mim. Se eu tivesse mais tempo que pudesse ser dedicado à escrita, eu poderia me preparar melhor e escrever mais. Me resta apenas ser paciente e me dedicar da melhor maneira possível dentro das minhas possibilidades.

7. Qual é o seu maior sonho como escritor? Já tem algum outro projeto literário em andamento?
R: Eu só quero continuar a ser lido. Acho que o sonho de todo escritor é esse, ter seus livros lidos. Escrita nunca é sobre dinheiro, fama nem nada disso. Acho que ninguém escreve pensando nessas coisas, pois se você ficar pensando nesse tipo de coisa na hora de escrever não vai conseguir chegar muito longe. Eu só quero conseguir contribuir cada vez mais para esse fantástico mundo literário e poder contar boas histórias. Gosto muito de uma citação que diz que "livros não mudam o mundo, pessoas mudam o mundo. Livros só mudam pessoas.". O próximo projeto literário é escrever a continuação de Krystallo. Por enquanto, estou terminando alguns estudos que queria fazer antes de voltar a escrever, mas pretendo começar a colocar no papel as primeiras páginas do próximo livro em breve.

8. O que você gosta de ler? Gênero, autor e obra favorita?
R: Meus gêneros favoritos são fantasia e ficção científica, mas gosto muito também de ficção histórica. Meus livros favoritos são, acredito, os favoritos de toda a minha geração: a coleção de Harry Potter. Consequentemente, Rowling é a minha autora favorita também. Mas posso dizer que Jogos Vorazes e Percy Jackson também marcaram muito a minha adolescência, tanto que Krystallo é voltado para o mesmo público dessas três coleções. Em relação à ficção científica, acho que "Guerra do Velho" de Scalzi e toda a sua coleção são excelentes. E, quanto à ficção histórica, o melhor Autor é Ken Follet, os três livros da "Trilogia do Século" são incríveis.

9. Sabemos que é muito difícil, hoje em dia, um autor nacional destacar-se e ter seu espaço na literatura. Seu livro anda fazendo bastante sucesso e sendo, na maioria das vezes, favoritado pelos leitores. Como você sente-se em relação a isso?
R: Eu fico muito feliz com esse retorno. Não há satisfação maior para um Autor do que saber que a sua obra está agradando os leitores. É um prazer muito grande também poder discutir a história com os leitores, eu aprendo muito sempre que leio as resenhas e tiro alguma dúvida desse universo de Krystallo. Mas eu tenho plena consciência de que este é apenas o início de um longo projeto de literatura nacional. Tudo que foi conquistado agora é só o começo e é necessário fazer com que essa história alcance um número cada vez maior de leitores para que o projeto consiga realmente ganhar alguma importância comparado aos grandes best-sellers que temos no mercado.

10. Deixe um recado para as Livreiras e para os Livreiros do blog "Duas Livreiras":
R: Apenas queria agradecer a oportunidade de responder a essa entrevista e por ter esse espaço tão legal aqui no blog de vocês e nas redes sociais. Queria convidar todos que leram a entrevista a seguirem o meu perfil e o perfil do livro no instagram: @sagakrystallo e @raphaelfraemam. E também dizer que estou sempre à disposição para debater sobre o livro e sobre escrita criativa com qualquer interessado. Fiquem à vontade para entrar em contato pelas redes sociais ou pelo e-mail sagakrystallo@gmail.com. Um abraço.

Livro(s): Krystallo
Redes sociais: Instagram


*Obs: quando a entrevista foi feita com o autor, ele ainda não podia falar sobre o lançamento de "Krystallo" no formato físico, mas ontem foi anunciado que a obra será publicada pela Editora Skull em breve

POSTAGEM POR: VIVIANE

4 comentários:

  1. Tudo bem? Acho bacana ler entrevistas de autores, pois dessa forma sempre conhecemos um pouco mais sobre o processo criativo,a pessoa e suas aspirações.
    Ficou muito boa as perguntas e não conhecia o autor.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Ele escreve desde os 8 anos, achei isso incrível. Pela entrevista dá pra notar a paixão dele pelos livros. Me identifiquei com seu lado nerd e amor por Star Wars hauhahauhua. Não o conhecia, agora fiquei com vontade de ler.
    Adorei a entrevista

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  3. Oiii

    Uau, que entrevista incrivel e que simpatia de autor, realmente concordo que falta dar mais abertura ao autor brasileiro pois existem mesmo livros por aqui tão bons ou até melhores do que alguns best sellers famosinhos estrangeiros. Um autor advogado, que legal isso, demonstra ser um batalhador, admiro demais. Legal conhecer mais um autor nacional, sucesso pro Raphael

    Beijos,

    Alice

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Um jovem, e ao que parece bem talentoso. Já vi bastante sobre o livro dele é fiquei curiosa, inclusive um amigo leu, desenhou e super recomendou no LT, por isso, ao ler sua entrevista só fiquei ainda mais curiosa. Muito bacana esse bate papo de vocês.

    Beijo.

    ResponderExcluir