22/05/2020

[Resenha] 1º a morrer (mulheres contra o crime #1) | James Patterson

1º a morrer

Autor(a): James Patterson
Editora: Gutenberg
Páginas: 376
Resenha por: Viviane
Avaliação: 5/5
Compre: Amazon




Sinopse: Em uma narrativa de tirar o fôlego, James Patterson nos apresenta Lindsay, Claire, Jill e Cindy, as integrantes do Clube das Mulheres Contra o Crime. No primeiro livro da série, o desafio desse grupo é investigar a identidade de um serial killer que assassina homens e mulheres que acabaram de se casar. O ponto de partida da narrativa é o brutal assassinato de um jovem casal em lua-de-mel num hotel cinco estrelas de San Francisco, crime que, com pequenas variações, se repete em duas outras cidades norte-americanas, deixando claro que se trata do trabalho de um assassino em série. Indignadas com a ação empreendida pela polícia no caso, quatro mulheres destemidas - a inspetora de homicídios Lindsay Boxer, a médica legista Claire Washburn, a repórter policial Cindy Thomas e a assistente da promotoria Jill Bernhardt - resolvem unir forças para descobrir e prender o assassino. Assim nasce o Women's Murder Club, ou Clube das Mulheres contra o Crime, desvendando crimes entre uma margarita e outra e altos papos sobre comida, homens e sexo.

Resenha: "1° a morrer" é o primeiro livro da série "Clube das mulheres contra o crime"; são 15 livros no total, e temos 9 publicados no Brasil. A protagonista da série é a detetive Lindsay Boxer, do departamento de homicídios.

Um casal é assassinado na lua de mel a facadas, e a noiva estuprada após a morte, em um hotel de luxo. As pistas são poucas, mas a investigadora teme que possa ser obra de algum serial killer e que mais vítimas apareçam.

Não tarda a aparecerem outras duas vítimas; um casal de noivos em lua de mel somem do hotel em que estavam hospedados e são encontrados mortos em uma zona afastada da cidade. Nessa cena de crime o assassino deixa um pelo de barba ruiva.

A 3.000 km dos primeiros crimes, mais um casal é assassinado durante sua festa de casamento. Dessa vez a noiva tinha um amante, e é a partir daí que a detetive começa a traçar o perfil do suspeito.

Os primeiros suspeitos começam aparecer e, além de estar atrás de um perigoso serial killer, a investigadora está lutando contra uma doença raríssima e que pode ser fatal, mas Lindsay não está sozinha, ela contará com ajuda de Claire, a médica legista, de Cindy, uma jornalista que ela tentou expulsar de cenas de crime anteriores, mas se tornaram amigas, e de Jill, uma promotora de justiça, formando assim o clube das mulheres contra o crime.

"Mandem-me calar a boca se eu começar a rugir - disse Jill. Nós nos olhamos. Éramos mulheres inteligentes, atraentes, que não levavam desaforo para casa. Nós íamos dominar... um dia."

Todas as pistas levam a um suspeito, que é preso, mas tudo parece ter sido fácil demais e a detetive acha que errou, então tenta recomeçar do início e ver o que ela deixou passar.

Este é mais um daqueles livros que dá um nó no cérebro do leitor, que quando parece que está tudo resolvido surge um novo indício e uma nova investigação começa e, mesmo quando o livro parece ter um fim, tem mais um epílogo que é outro tapa na cara do leitor. A leitura nunca fica cansativa e a gente quer ler até saber o que vai acontecer. Para quem gosta do gênero thriller policial, com certeza o autor James Patterson é uma ótima recomendação.

2 comentários:

  1. Oi meninas!
    Dá nó no cérebro? Fiquei curiosa!
    Já tive boas recomendações do autor James Patterson, mas ainda não me aventurei em nenhuma obra dele.
    beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Minha nossa, 15 livros?? Não sabia que a série era tão longa, mas também nem posso falar Harlan Coben também faz isso hahahaha.
    Dá uma reviravolta enorme na cabeça esse livro. Li pouca coisa do Patterson na vida e vou dar uma chance a essa obra.

    ResponderExcluir