14/12/2018

[Resenha] Garota-Ranho (volume #1) | Bryan Lee O'Malley e Leslie Hung

Garota-Ranho

Autor(a): Bryan Lee O'Malley e Leslie Hung
Editora: Cia das Letras (selo Quadrinhos na Cia)
Páginas: 136
Resenha por: Larissa
Avaliação: 5/5
Compre: Americanas / Editora

*Livro cedido pela editora para resenha


Sinopse: Lottie Person é uma blogueira de moda que vive uma vida absolutamente incrível - ou pelo menos é o que ela quer que você acredite. A verdade é que sua alergia está fora de controle, seu nariz não para de escorrer, ela só é amiga de gente horrível, o namorado a trocou por uma garota mais nova e é possível que ela tenha matado alguém!

Resenha: Nesse livro iremos, basicamente, conhecer a vida de Lottie Person - uma blogueira famosa - por trás das câmeras.

Lottie tem milhares de seguidores em suas redes sociais, uma imagem incrível e sabe que é uma grande influenciadora. Porém, quando se trata da sua vida real, Lottie está sozinha, sem amigos, sem namorado e, para completar, tem uma alergia, que faz com que saiam lágrimas de seus olhos e - pasmem! - ranho de seu nariz.

"No blog, eu sou perfeita. Meu nariz nunca escorre. Cada fiozinho de cabelo fica onde tem que ficar."

Em uma ida à uma cafeteria, Lottie conhece Caroline, que ela apelida de Coolgirl. Lottie vê em Caroline uma possibilidade de uma nova amizade, ao mesmo tempo em que sente uma ponta de inveja da garota.

Ao ir a um bar com sua mais nova amiga, a blogueira tem uma recaída ao ver seu ex com outra garota e, quando vai ao banheiro, acaba derrubando Caroline no chão, deixando-a ali, toda ensanguentada.

"Achei que a gente era igual, só que não. Você sempre vai ser a Coolgirl. E eu sempre vou ser a Ranhottie. Eu sou o monstro que sabe que é um monstro."

Após o ocorrido Lottie não vê mais Coolgirl, e tem certeza de que ela está morta, porém, uns dias depois, passa a receber mensagens da amiga. Será que ela é uma assassina? O que será que realmente aconteceu naquela noite? Será que Caroline está viva? Se sim, como?

"Garota-Ranho" foi uma estória em quadrinhos que eu li em poucas horas, isso bem lentamente para conseguir captar todos os detalhes. Eu adorei poder conhecer um pouco da vida de uma blogueira de moda fora das câmeras, é hilário. E, além disso, temos um mistério envolvido, o que deixou a estória muito mais intensa. O livro é o primeiro de uma série, por isso ficaram ainda algumas pontas soltas. Não vejo a hora de poder ler os próximos volumes!

12/12/2018

[Quotes] Eu tenho sérios poemas mentais

Olá, livreiras e livreiros! Hoje eu, Viviane, trago para vocês meus quotes favoritos de um livro incrível - "Eu tenho sérios poemas mentais" - que li recentemente e não podia deixar de dividir com vocês.

Conheci o autor Pedro Salomão através de um vídeo que ele gravou para o Facebook sobre ansiedade; a Larissa marcou-me na postagem, eu assisti umas três vezes e em todas elas chorei pelo tanto que me identifiquei, então quando soube do lançamento do livro não perdi tempo e li.

Minha vontade era reescrever todo o livro aqui para vocês, mas precisei me controlar e escolhi só aquelas frases que mais me identifiquei ou que me tocaram de alguma maneira. Vamos lá!

"A gente deveria falar quando algo não nos agrada, para filtrar esses grãos de areia e ter relações mais leves, mas é difícil para mim assumir, tenho medo de ser... Não sei. Tenho medo de alguma coisa."

"Por não saber lidar comigo, acabo não sabendo lidar com os outros."

"O silêncio é a música que Deus escreveu para nós."

"Como faz para organizar a vida se estou no meio de um furacão? Eu espero o furacão passar? Eu luto contra ele? Não sei. Estou cansado."

"Existe um euzinho dentro de mim. Inseguro. Indefeso. Dramático. Calma, euzinho, eu cuido de você, sempre cuidei. Eu mesmo sofro e eu mesmo me dou colo."

"Ela se acha um mulherão da porra, e isso não tem nada a ver com arrogância, ela apenas se deu conta do que estava na cara esse tempo todo."

"No meio de uma conversa eu estava rindo de meus medos e senti que naquele momento eu comecei a vencê-los."

"Se você está triste , não precisa ficar mais triste por estar triste. Tudo bem ficar assim às vezes."

"A minha insegurança é tanta, que quando tenho uma boa ideia não consigo sentir o mérito, sinto que copiei a ideia de alguém que mora dentro de mim."

"Elogia até se certificar de que a pessoa acredita ser quem realmente é."

"Quando a ansiedade passa , é como se a neblina fosse embora pelo sol. E eu posso finalmente ver as coisas boas que estavam ali o tempo todo."

"Se alguém te admitir que é inseguro, dê atenção. Não ouça como se a pessoa estivesse apenas puxando um assunto qualquer. Ela pode ter juntado tudo o que restou de coragem para assumir isso para você."

POSTAGEM POR: VIVIANE

10/12/2018

[Resenha] Aconchego divino | Maria Formosinho

Aconchego divino

Autor(a): Maria Formosinho
Editora: Chiado
Páginas: 154
Resenha por: Larissa
Avaliação: 5/5
Compre: Editora

*Livro cedido pela editora para resenha


Sinopse: Sei que nem sempre te lembras que, cá deste lado, tem uma pequena multidão que torce por ti e vibra contigo, que faz acontecer os teus "acasos e coincidências", que te amortece nas quedas, que te sussurra "confia", que te ensina no sonho, que ativa a tua intuição, que te livra do perigo, que caminha do teu lado. Podes-nos chamar de Anjos da Guarda, Guias, Mestres ou até de Almas do Outro Mundo, não importa. O que importa é acreditares que és um ser divino, detentor de sábios conhecimentos e de acumuladas experiências que te ajudam a percorrer alegremente o teu caminho. Estas curtas mensagens constituem apenas pequenos lembretes daquilo que a tua Alma já sabe. Querem ser uma ajuda para aqueles momentos menos fáceis da tua vida e, ao mesmo tempo, relembrar-te do quanto és um ser amado por todos nós.

Resenha: Esse livro não nos traz uma história, e sim textos motivacionais com dicas para nos sentirmos melhor com a vida, com as pessoas ao nosso redor e, principalmente, com nós mesmos.

Os textos do livro são como se fossem textos enviados pelo nosso anjo da guarda, protetor, mentor ou guia - como preferirem chamar -, para nos lembrar que tem sempre alguém nos guiando, protegendo e torcendo pela nossa felicidade e bem estar.

"A vida sempre dá uma oportunidade aos recomeços. Nunca é tarde para novos começos. Nunca é tarde para ser feliz."

São trabalhados nos textos os mais diversos temas motivacionais e reflexivos, como por exemplo: esperança, gratidão, crenças, felicidade, sonhos, transição, mudanças, emoções, dúvidas, paciência, perdão, pressa, entre muitos outros.

Cada texto discorre sobre um tema central e todos trazem alguma dica essencial, daquelas que devemos levar para o resto da vida. Deixo aqui um pequeno resumo de alguns textos, para vocês terem uma noção do que eles abordam: "Emoção" nos fala da importância de sentirmos emoção em tudo o que fazemos, aquela emoção vinda da alma; "Dúvida" nos traz os dois caminhos que podemos seguir ao estarmos com dúvida: razão e coração; "Natureza" é bastante interessante, e fala sobre a importância da natureza para nós, seres humanos; "Vamos Dançar?" compara a vida com uma dança, o que eu achei sensacional; outro texto bem interessante que faz comparações é "A Vela", que compara a vida com a chama de uma vela; "Gratidão" nos fala sobre termos que ser sempre gratos e, inclusive, nos dá razões pelas quais devemos sentir gratidão; "Propósito" fala sobre os acontecimentos da nossa vida, que mesmo os ruins acontecerem por algum motivo, pois tudo tem um propósito.

"A vida é como uma dança. Às vezes ela é alegre, ritmada, com os passos certos e harmoniosos. Outras vezes, a música não é a nossa preferida, mas, mesmo assim, conseguimos acompanhar o ritmo sem muitos tropeços, apesar de alguns encontrões."

"A Tendência Para Complicar" foi um texto que me chamou muito a atenção porque eu simplesmente me vi nele. O texto fala sobre pessoas que estão sempre complicando tudo em sua vida e, consequentemente, deixando o pensamento negativo tomar conta de si. Nunca nada é simples, tudo é extremamente difícil e complicado. Nada vai dar certo, porque tudo é muito complicado. Eu penso sempre assim, e acho que está na hora de mudar, principalmente depois de ler esse texto, que foi um "tapa na cara".

Meus textos favoritos foram: "Brilha", "Promessas", "Acredita", "Um Brinde", "Chora" e "Nunca percas a esperança".

Foi uma leitura simplesmente aconchegante, como já diz o título, e que só acrescentou na minha vida. Quem tiver a oportunidade, não deixe de ler esse livro, pois é realmente uma leitura maravilhosa.

"Tudo na vida tem um lado positivo é um lado negativo, mas se a tentares olhar sempre pelo lado positivo ela vai-te responder sorrindo."

07/12/2018

[Resenha] Como nascem as estrelas | Giovanna Ramundo

Como nascem as estrelas

Autor(a): Giovanna Ramundo
Editora: Autografia
Páginas: 158
Resenha por: Larissa
Avaliação: 4/5
Compre: Editora

*Livro cedido pela editora para resenha


Sinopse: Caio é um menino sem pais que vive uma vida difícil em uma cidade repugnante chamada Remoinho. Mas sua realidade começa a mudar quando um anjo despenca do céu e acaba se tornando seu amigo. Entre um dia e outro a verdade sobre a história do tal anjo é revelada, e não se parece em nada com os contos celestiais que lemos por ai...

A partir da voz de um narrador um tanto carismático e incisivo, a relação das duas crianças vai se estabelecendo. E entre livros, músicas, conversas sobre o Universo e tinta para o cabelo, os meninos embarcam em uma nova descoberta sobre a vida, a morte, a infância e quem eles realmente são.

Resenha: Vocês sabem como são formados os anjos? Bom, segundo o livro "Como nascem as estrelas", são as crianças que morrem antes de virar adultas que os formam.

Nessa obra iremos conhecer intercaladamente a vida de Benjamin e de Caio.

Benjamin é um garoto que vive com sua mãe, seu pai e sua irmã, Hélen, em uma casa mais afastada da cidade. Seu pai é um homem horrível, que sai para beber e volta para casa sempre transtornado. O cúmulo é quando Enzo, o pai, ao ser retrucado por Hélen, estupra a garota, justamente no dia do seu aniversário de oito anos. Após isso, ele passa a estuprar o garoto também.

Caio vive em uma pequena vila, chamada Remoinho, que, por ser tão pequena, todos se conhecem e, consequentemente, as notícias correm soltas e rapidamente. É uma vila calma, onde praticamente nada acontece, mas quando uma folha voa já é algo de grande repercussão, que precisa ser comentado. Tudo muda na pacata vila quando aparece, de repente, um anjo.

"Remoinho é uma pequena vila entre o nada e o lugar nenhum. E não passa de quatro ruas cheias de casas de madeiras baixas e largas, ao lado de um campo e de uma pequena lagoa, que parece menor a cada ano."

O anjo cai do céu em um fim de tarde qualquer e não sabe exatamente o que faz ali, então, de repente, chama por Caio. Ao encontrarem-se, Caio leva o anjo, que diz chamar-se Esperança, para sua casa e os dois viram grandes amigos. Os moradores, desconfiados, não gostam nada da aproximação de Caio e do anjo, mas nada podem fazer. Então os garotos passam seus dias falando sobre diversas coisas, como livros, músicas, entre outras.

"Enquanto tivesse seus livros, não precisaria de mais nada. Os livros são coisas engraçadas, você pode usá-los de diversas maneiras. Eles podem te ligar com o mundo ou te esconder dele..."

Conforme a história vai avançando nós vamos conhecendo melhor as estórias de Caio e do anjo - que caiu em Remoinho completamente sem memória, mas vai lembrando de tudo através de sonhos - e, no fim, todos os pontos são ligados.

Uma coisa que achei muito bacana é que o narrador conversa com o leitor, por vezes dando sua opinião sobre a história, inclusive.

"Meu Deus! Mas que papo estranho!, mas que anjo estranho!, mas que menino estranho!, mas que gente estranha! e que narrador estranho também, que para uma história desse jeito! Devo dizer, leitor, estou achando que esta não será uma história bem escrita e, se eu fosse você, fechava este livro agora mesmo! Pobre de mim que sou obrigado a aturar as vaidades de escritores fracassados que não sabem escrever!"

É uma leitura sem grandes reviravoltas, mas bastante leve e que nos traz várias lições e discussões sobre questões importantes.

05/12/2018

[Lidos do mês] Novembro | 2018

Olá, livreiras e livreiros! Hoje viemos trazer para vocês nossas leituras do mês de novembro. Vamos conferir?!

Larissa

Memórias de um amigo imaginário | Matthew Dicks (5/5): "Enquanto Max acreditar em mim, eu existo. Posso precisar da imaginação do Max para existir, mas tenho os meus pensamentos, as minhas ideias e a minha vida, tudo isso separado dele." "Max não gosta de gente da mesma forma que as outras crianças gostam. Ele gosta das pessoas, mas bem de longe. Quanto mais afastado alguém ficar de Max, mais ele vai gostar dessa pessoa." "Nós dois não gostamos da Sra. Patterson, mas ultimamente ela e Max estão estranhamente próximos. Isso não é normal, muito menos para alguém como o meu amigo. Ele corre perigo, tenho certeza..."

Anatomias poéticas | Angela Malheiros (3/5): A autora Angela Malheiros lança, pela Autografia, a obra "Anatomias Poéticas", uma coletânea que mescla poesias divididas em duas partes: a primeira traz versos bem-humorados, surrealistas e ritmados, que fazem paralelo entre sensações da vida e os órgãos vitais do corpo humano, como o coração, pulmão, estômago e rins; já a segunda, conta com releituras de cantigas medievais portuguesas e da arte brasileira contemporânea.
Meu coração & outros buracos negros | Jasmine Warga (5/5): Um tema amargo, mas necessário. Em Meu coração e outros buracos negros, a estreante Jasmine Warga apresenta aos leitores um romance adolescente que aborda, de forma aberta, honesta e emocionante, o suicídio. Aysel, a protagonista, enfrenta problemas com a família e os colegas de escola, como tantos jovens por aí, e, aos 16 anos, planeja acabar com a própria vida. Mas quando ela conhece Roman num site de suicídio, em busca de um cúmplice que a ajude a planejar a própria morte, num pacto desesperado, a vida dos dois literalmente vira de cabeça para baixo. Aos poucos, Aysel percebe que seu coração ainda é capaz de bater alegremente. E ela precisará lutar por sua vida, pela vida de Roman e pelo amor que os une, antes que seja tarde.

Todas as flores que não te enviei | Felipe Rocha (5/5): Todas as flores que não te enviei trata de sentimentos, inclusive aqueles que lutamos para esconder, mas que estão ali, esperando o momento exato para serem libertos. A inspiração dos poemas de Felipe Rocha chega através da sua imaginação e da sensibilidade, e também da percepção de tudo que está ao seu redor. Foi depois de muita reflexão que, em 2016, nasceu o @tipobilhete, como forma de trazer um pouco de alegria para o dia a dia e transbordar aquilo que atitudes não são capazes de demonstrar.
O desconhecido | Vanessa Tourinho (4/5): Tudo que Luisa queria, ao sair do orfanato onde cresceu, era uma vida tranquila e normal, mas ao invés disso, em seu décimo oitavo aniversário descobre possuir o poder de ler pensamentos alheios. A beira do colapso emocional acaba conhecendo Toni, de uma maneira nada convencional, e então aprende que nasceu com uma anomalia genética chamada Transmutação, que gera habilidades sobre-humanas. Além disso, Luisa descobre que todo Transmutado é destinado a um parceiro ideal, e apega-se a ideia de amar sua suposta alma-gêmea, sem sequer conhecê-lo, e parte em busca deste homem desconhecido, ignorando todos os perigos que essa busca pode trazer aos seus amigos e a si mesma.

@invernoemsaturno | Davi Melo (5/5): Aqui você encontrará uma parte daquilo que me compõe. São palavras escritas entre os dias de sol e as noites de frio, entre cobertas e descobertas, entre a sobrevivência em alguns invernos, a insistência e a busca pelo amor e a persistência da saudade. Eu sou grave, e você não faz ideia da gravidade que é a poesia.
Não se iluda, não | Isabela Freitas (4/5): Depois de passar um ano sem namorado, Isabela está determinada a realizar o grande sonho de ser uma escritora reconhecida. Resolve dar os primeiros passos anonimamente, criando um blog onde assina como 'A Garota em Preto e Branco'. Em seu diário virtual, ela desabafa, fala dos amigos, dos não tão amigos assim, e confessa suas aventuras e desventuras amorosas. Assunto é o que não falta. Durante uma temporada agitada em Costa do Sauípe, na Bahia, acompanhada por Pedro, Amanda e sua insuportável prima Nataly, Isabela conhece o irresistível Gabriel, um sujeito praticamente perfeito, a não ser por um pequeno detalhe... Entre shows e passeios na praia, Isabela precisa admitir para si mesma que sente uma atração cada vez maior pelo seu melhor amigo. Em seu segundo livro, Isabela Freitas dá sequência às histórias dos personagens de 'Não se apega, não'. Dessa vez, com a cabeça nas nuvens e os pés firmemente no chão, a personagem Isabela vai em busca daquilo que seu coração realmente deseja, mesmo quando seu caminho é bem acidentado e cada curva parece esconder uma nova surpresa.

Ilustre poesia | Pedro Gabriel (5/5): Antônio é um personagem de um romance que ainda está para ser escrito e que, entre um chope e outro, despeja frases e desenhos em guardanapos no bar que frequenta. Pedro Gabriel é autor da página Eu me chamo Antônio, no Facebook e no Instagram, que reúne as divagações e os rabiscos de seu alter ego. Antônio pertence à ficção e conquistou mais de 1 milhão de seguidores na internet. Pedro, por sua vez, consolidou seu espaço na literatura com dois best-sellers: Eu me chamo Antônio (2013) e Segundo (2014). Em Ilustre Poesia, seu terceiro livro, fantasia e realidade colidem. Criador e criatura dialogam por meio de palavras e ilustrações. Desta vez, Antônio procura escapulir do confinamento nos quadradinhos de papel dos guardanapos e ganhar a liberdade. Ao mesmo tempo, Pedro Gabriel explora galáxias, as profundezas do mar e os confins da terra em textos de prosa poética que podem ser lidos como uma espécie de correspondência com o personagem. O senso de humor, a irreverência e o gosto pelos trocadilhos são compartilhados pelo personagem e seu poeta. A relação entre Pedro Gabriel e Antônio começou há quatro anos no balcão do Café Lamas, um dos mais tradicionais do Rio de Janeiro. Pedro costumava passar as noites tomando chope e escrevendo em guardanapos com caneta hidrográfica. Um belo dia, ocorreu-lhe a ideia de fotografar suas criações e compartilhá-las no Facebook. O sucesso foi imediato. Em poucos meses, ele havia se transformado numa verdadeira celebridade da internet.

Viviane

Objetos cortantes | Gillian Flynn (4/5): Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado, a repórter de um jornal sem prestígio em Chicago, Camille Preaker, tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida. Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri, oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã, praticamente uma desconhecida. Mas, sem recursos para se hospedar na cidade, é obrigada a ficar na casa da família e lidar com todas as reminiscências de seu passado. Entrevistando velhos conhecidos e recém-chegados a fim de aprofundar as investigações e elaborar sua matéria, a jornalista relembra a infância e a adolescência conturbadas e aos poucos desvenda os segredos de sua família, quase tão macabros quanto as cicatrizes sob suas roupas.

Uma nova chance | Jeaney Calabria (4/5): Quando ignoramos as verdades da vida, as dificuldades tornam-se necessárias para compreendermos os verdadeiros valores do nosso espírito. Foi assim com Luiz Cláudio, um jovem de 16 anos que perdeu os pais em um acidente de carro e que foi criado por sua avó Marlene, sempre disposta a fazer todas as vontades do rapaz. Preso às ilusões do mundo, o adolescente de classe média acaba entregando-se às drogas.
Gaslight | John Roach (4/5): "- Você já viajou para o passado Doutor? - ele não disse nada - uma viagem fria, da qual você não quer se lembrar? Da qual você não deve lembrar e que vai voltando aos poucos mesmo que não queira? Por que se nunca esteve em um lugar assim, se nunca se perdeu nesse mundo, então não sei se vai entender minha história." John Silent tomou Sandra por esposa. Suas vidas passaram por demasiadas turbulências e graças a seu trabalho ele não pode dar a ela a tão sonhada lua-de-mel. Levou três anos para que a oportunidade surgisse. Graças à indicação de seu bom amigo Arthur, John aluga uma cabana na colina ao topo da simpática cidade de New Perrish. Tudo esta belo para os Silent, até o momento em que Sandra desenvolve acessos de sonambulismos e pesadelos. O desconforto chega a um ponto em que o mais lógico a fazer é deixa o lugar, contudo a cidade tem outros planos. John é separado de sua esposa e jogado ao limite oposto da cidade, onde tudo que irá encontrar são fortes indícios de que deve fugir e deixar sua amada a própria sorte. A recusa em ouvir os sinais o fará pagar um alto preço. Conflitante entre dois sentimentos, o medo de ser engolido pelo horror que compõe cada centímetro da cidade ou o desejo desesperado de descobrir a verdade e encontrar seu bem mais precioso que lhe fora arrancado. Sua mente esta prestes a engoli-lo numa tormenta de duvidas e desespero até que, quando tudo parece esclarecido, não poderia ele estar mais no escuro. Ao fim ele esta a salvo, relatando tudo que viveu. Tortura-se imaginando se alguém poderá acreditar nele, ou se declararão John Silent um insano. Seja como for ele pode respirar tranquilo, o que quer que tenha passado já terminou antes mesmo de começar, e ele esta a salvo... Não é?

A lista negra | Jennifer Brown (5/5): E se você desejasse a morte de uma pessoa e isso acontecesse? E se o assassino fosse alguém que você ama? O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos. Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio. Assombrada pela lembrança do namorado, que ainda ama, passando por problemas de relacionamento com a família, com os ex-amigos e a garota a quem salvou, Val deve enfrentar seus fantasmas e encontrar seu papel nessa história em que todos são, ao mesmo tempo, responsáveis e vítimas.

O dia em que a minha vida mudou por causa de um chocolate comprado nas Ilhas Maldivas | Keka Reis (5/5): Parecia um dia comum. Bom, pelo menos um dia comum do sexto ano. Até que, no meio da aula de ciências, Mia recebeu um embrulho inesperado. Um chocolate Pura Magia Aquele chocolate trazia as melhores lembranças de seu pai, e há anos ela não encontrava mais pra vender. Junto com o chocolate, um bilhete "Quer sentar do meu lado hoje na perua?", com a letra do Bereba. E agora? Eles não eram só amigos. Por que tudo estava ficando estranho de repente? O pessoal tinha começado a passar o dia inteiro no celular e a chamar o recreio de intervalo, os adultos só queriam ter conversas sérias, não dava mais para comprar roupa na seção infantil. Como sobreviver a tudo isso e ainda decidir como responder o bilhete.

POSTAGEM POR: LARISSA E VIVIANE