07/08/2020

[Resenha] Medicina dos horrores | Lindsey Fitzharris

Medicina dos horrores

Autor(a): Lindsey Fitzharris
Editora: Intrínseca
Páginas: 264
Resenha por: Viviane
Avaliação: 4/5
Compre: Amazon / Submarino




Sinopse: Em Medicina dos horrores, a historiadora Lindsey Fitzharris narra como era o chocante mundo da cirurgia do século XIX, que estava às vésperas de uma profunda transformação. A autora evoca os primeiros anfiteatros de operações - lugares abafados onde os procedimentos eram feitos diante de plateias lotadas - e cirurgiões pioneiros, cujo ofício era saudado não pela precisão, mas pela velocidade e pela força bruta, uma vez que não havia anestesia. Não à toa, os mais célebres cirurgiões da época eram capazes de amputar uma perna em menos de trinta segundos. Trabalhando sem luvas e sem qualquer cuidado com a higiene básica, esses profissionais, alheios à existência de micro-organismos, ficavam perplexos com as infecções pós-operatórias, o que mantinha as taxas de mortalidade implacavelmente elevadas.

É nesse cenário, em que se considerava mais provável um homem sobreviver à guerra do que ao hospital, que emerge a figura de Joseph Lister, um jovem médico que desvendaria esse enigma mortal e mudaria o curso da história. Concentrando-se no tumultuado período entre 1850 e 1875, a autora nos apresenta Lister e seus contemporâneos e nos conduz por imundas escolas de medicina, os sórdidos hospitais onde eles aprimoravam sua arte, as "casas da morte" onde estudavam anatomia e os cemitérios, que eles volta e meia invadiam para roubar cadáveres.

Chocante e revelador, Medicina dos horrores celebra o triunfo de um visionário, cuja busca para atribuir um caráter científico à medicina terminou por salvar milhões de vidas.

Resenha: Eu fiquei completamente fascinada por este livro quando soube de seu lançamento, tanto pela edição, que está lindíssima, quanto pela promessa de histórias bizarras das cirurgias dos anos de mil e oitocentos.

Antigamente as cirurgias, principalmente amputações, eram um espetáculo, realizadas em um anfiteatro, com centenas de espectadores. Tudo acontecia sem anestesia, no menor tempo possível, a higiene era zero, e era quase certo que os óbitos aconteceriam após o procedimento.

"Muitos cirurgiões das primeiras décadas do seculo XIX não cursavam a universidade. Alguns eram analfabetos."

Foi em uma destas apresentações que o jovem estudante de medicina, Joseph Lister, que estava presente, ficou fascinado com o que viu. Mais tarde, atuando como médico e cirurgião, estava inconformado com o alto índice de óbitos após os procedimentos. Naquela época não se ouvia falar em assepsia e muitas vezes os instrumentos nem sequer eram lavados entre uma cirurgia e outra. Lister começa aí sua busca pelo motivo das infecções e de algo para impedir que elas aconteçam.

Lister chegou a cogitar que o problema fosse a assepsia das salas de cirurgia, opinião que foi alvo de deboche por seus colegas da época. Ele tinha tanta certeza que o problema estava na limpeza que quando sua irmã teve câncer de mama e precisou de cirurgia, ele realizou na mesa da cozinha de sua própria casa, por considerar um ambiente mais higiênico.

Enquanto o jovem médico busca algo para evitar as mortes, vamos conhecendo seu passado e suas aspirações.

Eu confesso que, pela divulgação que foi feita do livro, eu eu esperava encontrar mais cenas bizarras dos procedimentos cirúrgicos da época, mas é só no começo que elas são contadas, depois é mais focado na biografia do doutor; mas ainda assim temos muitas curiosidades super interessantes ao longo da narrativa.

Para os leigos em medicina, é uma história bem interessante; para os profissionais da área, acho de extrema importância a leitura deste livro.

05/08/2020

[Lidos do mês] Julho | 2020

Olá, livreiras e livreiros! Tudo bem com vocês? Hoje viemos mostrar quais foram nossas leituras de julho que, para falar a verdade, não foram muitas. Mas vamos lá!

Larissa



- Venha comigo | Alexandro Gruber (4/5)
- Para onde vão os suicidas? | Felipe Saraiça (4/5)
- Amor a distância | Beth Reekles (4/5)
- Desvendando Gabriel | Karine Vidal (5/5)

Viviane



- Recursão | Blake Crouch (4/5)
- O resgate | Nicholas Sparks (5/5)
- Misery | Stephen King (4/5)
- Meu amigo herói | Daya Alves (5/5)

POSTAGEM POR: LARISSA E VIVIANE

03/08/2020

[Resenha] Desvendando Gabriel | Karine Vidal

Desvendando Gabriel

Autor(a): Karine Vidal
Editora: Amazon
Páginas: 544
Resenha por: Larissa
Avaliação: 5/5
Compre: Amazon

*E-book cedido em parceria feita no Instagram


Sinopse: Uma cidadezinha repleta de segredos.

Um garoto traiçoeiro rendido. Um amor inesperado.

Anna é uma órfã.

Ao completar 21 anos, um padrinho misterioso aparece em sua vida. Ele a retira do orfanato e a leva para morar com ele.

Anna, então, se muda para Vila Sartori. Uma cidadezinha enigmática. Naquele lugar, a garota decide construir uma nova vida. Mas Gabriel Valentini chega para atrapalhar seus planos.

Gabriel é o diabo em forma de gente. Filho do padrinho de Anna e rei da faculdade Sartori. Por lá, todos obedecem às suas ordens. Um líder nato e traiçoeiro.

Anna e Gabriel são ódio à primeira vista.

O garoto transforma a vida de Anna na cidade num inferno.

Mas o destino prega uma peça no playboy. Uma reviravolta faz com que Gabriel fique em dívida com a garota. Então, ele faz de tudo para pagar.

Gabriel e sua família escondem segredos sombrios, e Anna está decidida a descobrir o que são.

Criaturas místicas, lendas da Romênia e crianças roubadas. Uma paixão inesperada e proibida.

Gabriel se apaixona por Anna, mas ela não o quer. O garoto é perigoso e ela sabe.

A cidade esconde segredos assustadores. Um lar de criaturas lendárias e malignas, que vivem escondidas por séculos.

Envolvida numa história insana, Anna fará uma escolha difícil. Precisará se tornar um deles, ou...

Desvendar o segredo de Gabriel e morrer.

Resenha: Annastasia - ou Anna, como prefere ser chamada - morou a vida inteira em um orfanato, localizado em Manaus. Prestes a completar vinte e um anos, tem uma entrevista marcada com uma assistente social, que irá auxiliá-la, já que ela precisará ir embora do local. Acontece que, um dia antes de seu aniversário, aparece no orfanato Alexei, um padrinho misterioso, dizendo que levará ela com ele se ela quiser e dará todo o auxílio que ela precisar.

"Durante anos, vi as outras crianças sendo adotados e indo embora. Eu nunca fui adotada. Ninguém jamais me quis."

Alexei foi um grande amigo dos pais de Anna, e até pouco tempo nem sabia que Alina e Nikolas Petran, turistas vindos da Romênia, haviam morrido em uma viagem ao Brasil. Assim que soube do ocorrido - sim, só agora, vinte e um anos depois -, começou uma busca por Anna, a filha dos seus amigos, que só sobreviveu porque estava no hotel com a babá.

O homem, que tem seus cinquenta e poucos anos, faz uma grande oferta a Anna: ela poderá morar com ele em Vila Sartori enquanto cursa a faculdade, paga com o fundo fiduciário que seus pais deixaram para ela, e que Alexei administra. Para ter acesso a esse dinheiro, ela terá que estudar na Instituto Sartori de Ensino, faculdade escolhida por seus pais. Como Anna não tem nada a perder - aliás, só a ganhar, já que ela não tem nada e nem para onde ir mesmo -, ela topa.

Chegando em Vila Sartori, porém, Anna se depara com um trio de irmãos não tão receptivos. Viktoria e Dimitri tem vinte e um anos, enquanto Gabriel tem vinte e cinco; a moça é afilhada de Alexei e foi adotada por ele quando ficou órfã, enquanto Dimitri e Gabriel são seus filhos biológicos. Os filhos de Alexei estão crentes de que Anna é uma aproveitadora, uma intrusa, e por isso tratam ela muito mal no começo - gente, juro, eu tinha vontade de entrar no livro e abraçar a Anna; é muita maldade!

"Experimente viver num orfanato com crianças cruéis, e ter que lutar pelo seu lugar dia após dia? Pois é. Uma vida assim deixa suas marcas; eu estava preparada para enfrentar qualquer coisa."

Gabriel declara-se inimigo de Anna assim que vê a garota pela primeira vez, e, apesar de ele ser malditamente lindo e atraente, o ódio é recíproco, pois Anna odeia a forma como ele a trata e a forma como ele governa o Instituto como se fosse o dono do lugar, subordinando todos que não são dignos dele. A garota é esperta o bastante para manter-se longe dos irmãos, principalmente de Gabriel, o mais perigoso. Em uma aula um tanto quanto inusitada - e secreta -, nossa mocinha acaba fazendo um amigo, Petro, e ele será sua única companhia por algum tempo.

"Chegamos ao térreo; a porta do elevador se abriu. Do outro lado da porta, estava ele. O diabo em forma homem. Um playboy loiro e sarado, com sorrisinho diabólico e olhos perversos. Na hora, eu não soube. Queria que alguém houvesse me avisado. Corra, Anna. Corra para longe deste garoto maldito enquanto há tempo. Eu estava diante do homem que destruiria a minha vida. O demônio em forma de bad boy tatuado... Gabriel Valentini."

Uma noite, porém, muda completamente a relação de ódio e inimizade de Anna e Gabriel. Não posso falar muito para não dar spoiler, mas acontece que o garoto precisa da ajuda de Anna, que irá ajudá-lo, mesmo tendo sofrido tanto por causa dele e de seus amigos, e mesmo que o odeie, provando, assim, que tem um bom coração. Após esse “favor” que Anna faz para Gabriel, ele sente que deve algo a ela, e irá fazer tudo que estiver ao seu alcance para pagar.

O que contei aqui é só a ponta de um iceberg gigante. Gabriel e sua família são criaturas complexas, bem diferente de tudo que eu - e acredito que vocês também - poderia imaginar. A Karine criou uma estória repleta de lendas, segredos e criaturas místicas. Quem me acompanha sabe que eu não sou muito de livros de fantasia, mas o que a Karine escreve, eu leio, e não é que me apaixonei por essa estória totalmente fora da minha zona de conforto? E ainda, como se não bastasse cada página deste livro ser perfeita, o final me arrepiou, me emocionou, me destruiu. Apenas leiam este livro, e todos os outros da Karine Vidal, só assim vocês poderão entender o que se passa no meu coração após terminar esta leitura.

31/07/2020

[Resenha] Novos contos, nada de fadas! | Meg Mendes

Novos contos, nada de fadas!

Autor(a): Meg Mendes
Editora: Amazon
Páginas: 98
Resenha por: Viviane
Avaliação: 5/5
Compre: Amazon




Sinopse: Era uma vez...

Uma garota subjugada pelos desejos do pai. Uma garota gorda que sofre bullying. Um policial investigando misteriosos desaparecimentos. Uma garota rica em busca de sonhos que não são dela.Uma empregada doméstica, que acredita viver um conto de fadas. Uma garota que não quer se apaixonar.

Descubra o que eles têm em comum em: Novos contos, nada de fadas!

Resenha: "Novos contos, nada de fadas!" é uma seleção de releituras de contos de fadas famosos escritas pela autora Meg Mendes.

No primeiro conto, "Um peixe fora d'água" (A pequena sereia) temos Serina, uma jovem que carrega nos ombros o sonho de seu pai, de ser campeão de natação. A família de Serina, os Sulivan, nunca chegaram ao primeiro lugar no pódio, posto este sempre ocupado pela família Vincent, e esta rixa vem desde os tempos do avô de Serina, então agora, no presente, Bob, o pai da jovem, aposta todas as suas fichas nela. Porém Serina não quer nadar, ela quer cantar, e ao manifestar sua vontade causa uma briga com o pai.

"Você fará o que um Sulivan deve fazer. Nossa família está destinada ao sucesso; nascemos para nadar."

Serina fica furiosa, vai cedo para a piscina treinar e acaba salvando  a vida de um garoto que estava se afogando. E esta nova amizade poderá mudar o rumo da vida da garota.

Em "A irmã gorda" (O patinho feio) temos uma estória de bullying e superação. Honda sempre foi gordinha, desde que nasceu, mas o mais duro era ser humilhada pela mãe e pela irmã.

"Crianças são maldosas e não têm limites para a imaginação, mas adultos são perversos e pervertidos, o que torna a chacota ainda mais pesada e dura de aguentar." 

Um dia, durante a aula de educação física, Honda foi tão machucada - por dentro e por fora -, que foi para o banheiro chorar, e lá ela encontrou Margaret, que também chorava por sofrer bullying, mas por ser magra demais. As duas tornaram-se amigas e um dia Honda confidenciou que quando criança tinha o sonho de ser modelo; então Margaret teve uma grande ideia ao ver as inscrições abertas para um teste de modelo plus size - quem sabe sua amiga patinho feio pudesse se descobrir um lindo cisne?

Em "O mistério do moletom vermelho" (Chapeuzinho vermelho) poderia ser uma dia normal de trabalho para o policial Rob, mas o chamado para um desaparecimento movimentou seu dia e de seu parceiro. Uma mãe comunicou o desaparecimento da filha a caminho da escola. Enquanto procuravam pistas sobre a garotinha, outro telefonema, desta vez sobre uma jovem que não voltou da padaria; ao pedir detalhes da desaparecida, paralisou ao ouvir que a jovem usava moletom vermelho com capuz, pois a garotinha também usava uma jaqueta vermelha. Não tardou a receberem um chamado para uma nova vítima, um garotinho de cinco anos.

"De repente o telefone de Ian tocou, mais um desaparecimento."

As pistas levaram a uma casa antiga, e o desfecho e os motivos do sequestrador foram de arrepiar.

"A viagem de Alicia" (Alice no país das maravilhas) foi um conto muito triste, mostrando que nem a mais rica das criaturas está imune ao mundo das drogas. Alicia era uma jovem que sofria grande pressão do pai milionário para cursar Relações de Comércio Exterior e sucedê-lo na presidência da firma, mas a jovem queria Artes Plásticas, profissão que, segundo o pai, a faria passar fome. Toda as tardes Alicia ia para a biblioteca pública para ter um pouco de paz, e um dia conheceu Juliano, que a apresentou para a maconha.

"Eu ainda não sabia, mas tinha acabado de assinar minha sentença!"

Depois de um tempo, Alicia decidiu que precisava de algo mais forte, e isso foi a sua ruína. Este conto nos traz uma grande reflexão sobre a pressão que os jovens sofrem e como más escolhas podem mudar ou acabar com seus futuros.

Em "Você enfiou seus pés em uma jaca" (Cinderela) a jovem e sonhadora Cindy foi trabalhar de arrumadeira na casa de uma família rica, e imediatamente foi notada pelo patrão, que era muito bem casado com uma mulher fina e elegante. Não tardou à garota cair nas garras e na cama do homem.

"Ela sabia que não deveria se deixar seduzir, mas ela deixou, naquela madrugada e nas outras que se seguiram..."

Ele estava apaixonado, e prometia separar-se para ficar com ela, mas os anos passaram e Cindy cansou de ser iludida e feita de segunda opção e resolveu sair em busca de seu final feliz.

O próximo conto é "Coração adormecido" (Bela adormecida). Neste conto vamos conhecer Aurélia, que no ensino médio era uma nerd nada popular, mas na faculdade passou a ser disputada pelos rapazes. Aurélia era uma jovem que apesar de ter vários encontros, muitos deles acabando em sexo, nunca quis envolver-se emocionalmente; se percebia que o rapaz demonstrava sentimentos, logo cortava-o de sua agenda.

"Nicolas tinha uma moto, e sempre estava disponível. Só paramos de nos ver quando ele se apaixonou."

A garota chegava a manter um caderno com a lista dos rapazes que "pegou", mas ao completar vinte e três anos começou a sentir-se só e cansou de apenas se divertir com os garotos; estava na hora de "acordar" para o mundo real.

Eu, como apaixonada por contos de fadas que sou, adorei conferir estas releituras bem ao estilo "dias atuais"; cada um deles traz uma linda lição, alguns mais emocionantes, outros mais tristes e até com finais felizes, tudo descrito com muita sensibilidade pelas mãos e mente desta autora que vem se destacando tanto em antologias quanto em livros solo. Para quem ainda não conhece, é uma bela oportunidade para conhecer mais uma brilhante autora nacional!

29/07/2020

[Tag] Todo leitor diz

Olá, livreiras e livreiros! Hoje viemos responder uma tag muito bacana, que vimos no instagram @blogdarary e se chama "Todo leitor diz". Vamos conferir?

1. Que cheirinho de livro novo - o último livro que te deixou com o coração quentinho:
Larissa: "Romanticápsulas" (Marvin Cross) - É impossível ler os poemas apaixonados do Marvin Cross sem ficar com o coração quentinho, transbordando amor.
Viviane: "O resgate" (Nicholas Sparks) - Fazia tempo que não lia nada do autor, e esta é uma das poucas obras dele que não acaba em tragédia, então deu para matar a saudade dos romances e ainda aquecer o coração.

2. Vou comprar só mais um - a última aquisição que você fez:
Larissa: "Febre" (Pedro Guerra) - Gente, acho que nunca na minha vida de leitora fiquei tanto tempo sem comprar livros, haha. O último que comprei foi "Febre", e foi bem no comecinho do ano.
Viviane: "Leyendas Mexicanas" (Vários autores) - Já fazia um tempinho que não comprava livros, mas sou apaixonada por antologias e aproveitei na semana passada uma super promoção deste lançamento da editora DarkBooks.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
3. Não tenho nada para ler - aquele livro que está encalhado na sua estante há tempos:
Larissa: "A menina que roubava livros" (Markus Zusak) - Este foi um dos primeiros livros que ganhei, e até hoje não li.
Viviane: "Puros" (Julianna Baggott) - O que mais tenho é livro encalhado na estante, mas este é o mais antigo de todos.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
4. É só uma passadinha na livraria - o livro mais desejado do momento:
Larissa: "Teto para dois" (Beth O'Leary) - Esta foi difícil, pois eu tenho "apenas" 216 livros marcados como desejados no Skoob no momento, mas escolhi este porque é um livro que estou vendo os leitores falando super bem, e consequentemente estou bem curiosa para ler.
Viviane: "Lady killers: assassinas em série" (Tori Telfer) - Foi um pouco difícil escolher, mas este livro já faz bastante tempo que eu quero, tanto pelo tema, que adoro, quanto pela edição maravilhosa.

5. Só mais um capítulo - o último livro que você devorou:
Larissa: "A garota no trem" (Paula Hawkins) - Este não é um livro pequeno, mas eu li ele em poucos dias, pois a estória é extremamente envolvente.
Viviane: Saga "Harry Potter" (J. K. Rowling) - Eu li todos os sete livros em 25 dias; para alguns pode não ser muito, mas, para mim, mais de três mil páginas neste tempo é muita coisa.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
6. Minha estante tá uma bagunça - como você costuma organizar seus livros:
Larissa: Eu separo primeiro por tamanho, depois por editora e depois por autores/séries.
Viviane: Eu separo por editora e separo os lidos dos que ainda faltam ler.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
7. Nunca li, não é meu gênero favorito - último livro que te tirou da zona de conforto:
Larissa: "A soberba poesia entre luz e trevas" (Darlon Carlos) - Este é um livro de contos, que são de terror e envolvem também suspense folclórico; eu nunca havia lido nada do tipo, mas foi uma experiência boa.
Viviane: "Recursão" (Blake Crouch) - Ficção científica me tira da zona de conforto completamente, mas até que este livro não foi uma leitura tão difícil.

POSTAGEM POR: LARISSA E VIVIANE